quarta-feira, 19 de agosto de 2015

# ENTENDENDO O PROPÓSITO DAS MANIFESTAÇÕES #


Levante da aristocracia, fúria da burguesia e os interesses da classe alta


A aristocracia quer interromper
o ciclo de governo popular e democrático
desestabilizando o andamento do processo de
evolução que benefício dos trabalhadores


 WALQUER CARNEIRO


Nas duas  manifestações realizadas nos últimos meses não se viu sequer uma pauta que levasse a uma discussão séria  para problemas seculares que afligem a maioria dos trabalhadores assalariados do Brasil. A totalidade das pessoas que participaram das recentes manifestações fazem parte das classes mais abastadas do Brasil que nunca sentiram falta das  necessidades básicas que a maioria do povo brasileiro é carente.   

A pauta principal dos manifestantes foi o pedido da retirada a força de Dilma da presidência,  a prisão de Lula, sendo que a pauta da corrupção foi apresentada de forma difusa alegando que os responsáveis pela corrupção no Brasil são Lula e Dilma.
Não existe sequer um único crime cometido  para que a burguesia peça a retirada da Presidente Dilma do exercício da sua função ou que justifique a prisão de Lula. As únicas razões  para que a burguesia continue saindo às rua em manifestações é o direito de   exercerem a democracia manifestando-se a respeito do que quiserem, e a outra razão para que a burguesia continue com as manifestações de rua   é a quarta derrota eleitoral imposta pelas forças democráticas e populares e socialistas que reelegeram Dilma e recusaram mais uma vez a eleição de um representante da aristocracia.

Essa derrota política da aristocracia é algo inédito na história do Brasil, pois a aristocracia junto com a burguesia nacional sempre manobraram  para que os trabalhadores não tivessem um representante na administração central, em todos os tempos da história republicana brasileira a nação sempre foi administrada por indivíduos da aristocracia ou burgueses,  amparados pelo sistema aristocrático,  que vinham ignorando o povo trabalhador e a classe proletária como força fundamental na construção da nossa pátria.

Sem medo de estar sendo injusto ou equivocado, mas essas duas últimas mobilizações eram compostas por mais de 80% de gente da classe média alta para cima que foram mobilizadas pela força do poder da  aristocracia nacional, que  é quem sustenta, há séculos,  todo o sistema da rede de corrupção que permeia toda a nossa sociedade, sendo que essa rede de corrupção foi montada justamente para manter os privilégios   da aristocracia subtraindo para eles,  de forma fraudulenta,  as riquezas nacionais que é de direito de todos os brasileiros.

A aristocracia nacional só conseguiu sustentar em funcionamento essa rede de corrupção porque o sistema aristocrático vinha suprimindo o livre exercício da democracia para a totalidade dos brasileiros impedindo que setores populares e comprometidos com a soberania nacional chegassem à administração central do Brasil, pois a aristocracia nacional tem a plena consciência de que um governo popular jamais permitirá a continuação e a manutenção da rede secular de corrupção brasileira.

Com a eleição e reeleição de Lula e Dilma os trabalhadores assalariados e os informais de todo o Brasil foram postos na pauta das políticas públicas do governo federal, isso nunca havia sido feito antes e para fazer isso  foi  necessário montar um plano de combate a corrupção, e é isso que o PT com Lula e Dilma vem fazendo. E assim mais de 30 milhões de brasileiros que nunca tiveram acesso a moradia digna, a vagas nas universidades, vagas na educação infantil para os filhos, valorização real do salário mínimo acima da inflação, controle efetivo da inflação que hoje é a média  mais baixa em comparação com o governo FHC e Lula, além de que os juros são a metade do que nos tempos da administração dos Tucanos nos anos 90. Tudo isso e muito mais coroado com a criação de ferramentas e mecanismos de combate essencial da corrupção que está sendo posto em prática hoje, cujas medidas não foram tomadas no passado por omissão e cumplicidade dos governos com a corrupção.

É certo que, por uma série de motivos existem dificuldades na condução das políticas públicas do atual governo. Uma dessas dificuldades é justamente imposta pelo embate político a partir do congresso nacional com ações de setores oposicionistas inflados pela adesão de setores aliados que se rebelam em decorrência de interesses oportunistas e de cunho obscuros. Além de que há a interferência da crise global que afeta a economia nacional, mas essas questões,  podem, e,  estão sendo equacionadas a medida que o governo avança no diálogo e nos ajustes econômicos. Essas seriam pautas justas e legitimas para serem levadas nas manifestações aonde as liderança politicas poderiam usar os trios elétricos para apresentar alternativas para reforma política e aplicação de um outro modelo econômico, e a partir daí continuar a mobilizar sua militância para garantir a eleição do candidato a presidente em 2018, mas o que a aristocracia quer e interromper o ciclo de governo popular e democrático desestabilizando o andamento do processo de evolução  em benefício dos trabalhadores.

As manifestações, sejam elas dos setores mais abastados como vimos dia 16, ou mesmo de setores populares e classistas,  são totalmente legitimas. O que não é legitimo é a forma agressiva, desrespeitosa e violenta  que estão sendo conduzidas essas manifestações que pedem a interrupção do mandato de Dilma apenas por que a aristocracia e a burguesia não aceitam a quarta derrota consecutiva nas urnas numa disputa totalmente legal e democrática. 

# A ACORDAR PARA A VERDADE ENCOBERTA #

Temos  que acordar. A aristocracia brasileira, que controla todo o sistema de mídia, está difundindo a desinformação, distorcendo fatos com objetivos eminentemente politico. Respeito o  posicionamento de todos, mas  temos que   procurar analisar a avaliar a atual situação mais a fundo e não levar apenas em consideração o que diz o cartel midiático que representa apenas a ideia e vontade das elites e não dos trabalhadores como eu e você.

Eu não afirmei que está tudo bem, o que disse é que há, por parte do povo,  uma percepção exagerada da situação que é  amplificada pelo cartel midiático. Pessoas ao nossa redor, na escola e no trabalho  difundem opiniões a partir do que escuta e lê nos meios de comunicação do cartel midiático que representam apenas os interesses da aristocracia contra os trabalhadores.

# RASGANDO A ATA DA LEGALIDADE #

A nossa juventude não conhece a história...Desconhece que, em média, de trinta em trinta anos, a aristocracia provoca uma quebra de institucionalidade por não ter a moral de ganhar a simpatia da classe proletária nas disputas eleitorais. Os velhos conservadores sabem disso, mas a desonestidade intelectual desses permite que seja rasgada a ata da legalidade democrática por interesse da aristocracia contra os direitos dos trabalhadores proletários.


quinta-feira, 9 de julho de 2015

# OUTRO GOLPE DONA VANA #

Do banco da universidade contra o golpe à presidência do Brasil

Dilma Vana Russef é especialista em lutar
contra golpes de estado; quando jovem, estudante
foi as ruas enfrentou e venceu; hoje como presidente
está vencendo de novo, agora com o povo


WALQUER CARNEIRO


Do meio da década de 50 ao início da década de 60 Dilma Vana Russeff era uma estudante idealista que sonhava com um Brasil mais moderno e mais justo.  O  Brasil vivia uma época de prosperidade com o governo de JK, crescimento econômico, fortalecimento da indústria, aumento das garantias aos trabalhadores e a estabilidade de empregos com salários dignos,  com JK erguendo grandes e modernas obras estruturantes para o país que iria garantir um futuro glorioso. A democracia plena, o congresso livre com as forças politicas se estabelecendo e os partidos progressistas com suas lideranças atuando para garantir os direitos dos trabalhadores.

Nesse interim Dilma Vana Rulsseff era uma estudante aplicada que percebia,  naquele contexto,  uma  era de avanços e transformações de um Brasil que até a pouco vivia sob um regime semelhante ao feudal,  em relação  ao progresso das demais nações democráticas do planeta.

De repente, não mais do que de repente,  as forças conservadoras e retrógradas se levantam  vendo que os operários, estudantes  e lavradores estavam se emancipando e tomando consciência de seus papéis na formação social do país. Essas forças retrógradas tinham o apoio irrestrito dos banqueiros, industriais, religiosos tradicionais e de políticos de direita que estavam perdendo terreno para as forças políticas progressistas que professavam ideais socialistas de emancipação da classe trabalhadora e dos estudantes.

E Dilma Vana Rulsseff estava quieta no seu banco da universidade observando as movimentações e acreditando que tudo seguia seu curso normal de acomodação das novas forças socialistas que se elevavam. Os embates aconteciam no congresso nacional entre os parlamentares, até que em determinado momento, depois da eleição de Janio Quadros, que tinha como vice João Gullart, as forças conservadores e retrógradas de direita passaram a não aceitar o resultado do jogo de acordo com as regras da democracia e então começaram a se mobilizar usando o poder econômico, religioso e midiático para desenvolver uma estratégia de terrorismo tendo como mote o termo “comunismo”, que era o grande motivo que gerava debates políticos, econômicos e sociológicos,  na época,  em todas as nações do planeta.

Essas forças retrógradas  foram para as ruas, protestar e pedir a ruptura institucional e a eliminação das forças progressistas democráticas, e isso levou a uma reação dos estudantes, das forças politicas progressista e sindicatos de trabalhadores. Foi nesse momento que Dilma Vana Russeff resolveu agir, levantando do banco da sala de aulas,  saindo de dentro da universidade e indo pra ruas protestar e pedir a manutenção do estado democrático e de direito, até ai de forma pacífica.  

A forças retrógradas e conservadores vendo que perdiam terreno nos embates das ideias e disputas territoriais nas passeatas e mobilizações resolveram apelar radicalizando e chamando o exército para interferir, tendo ai, neste momento e ingerência diplomática dos Estados Unidos começou-se então uma caçada sem dó e nem piedade contra todas as lideranças progressista que apoiavam o governo de João Gullar que foi deposto e em seu lugar os militares tomaram conta, e nesse contexto Dilma Vana Russeff via com tristeza e contrariedade as liberdades democráticas sendo suprimidas pela força dos canhões e dos fuzis que feriam e matavam todos aqueles que ousavam se pôr contra o levante conservador, e foi bem nesse momento que Dilma Vana Russef resolveu que, junto com outros idealistas, iria resistir com a força e de todas as formas aos ataques que os progressistas sofriam do sistema.   

Agora, hoje, os conservadores retrógrados, usando como massa de manobra os micros burgueses estão preparando um novo golpe, porque não são capazes de vencer os progressistas no voto. Mesmo sendo os conservadores retrógrados aqueles que comandam toda a rede de corrupção brasileira e controlam todas os dutos por onde são desviados recursos públicos que estufam os cofres da aristocracia, essa não tem capacidade de vencer no voto livre e democrático as forças progressistas e democráticas, e por isso agora, hoje, essas forças aristocráticas, conservadoras e retrógradas estão tentando um golpe judicial e midiático querendo imputar a Dilma Vana Rulsseff  toda a sorte de corrupção praticada pela aristocracia.

Mas agora, hoje, as forças progressistas e democráticas estão preparadas para resistir e ir mais além; demolir toda a rede de corrupção montada e sustentado pelas forças conservadoras e retrógradas do Brasil, por que Dilma Vana Russeff tem a força do povo.

domingo, 5 de julho de 2015

# O OVO DO FASCISMO E O FANATISMO TUCANO #

O fanatismo contra o PT gera uma legião de fascista contra o Brasil 

Quando a disputa política mostra que
um grupo tido como elite econômica é
incapaz de retornar ao poder,  esse grupo
fomenta o fanatismo gerando o fascismo.

WALQUER CARNEIRO  

Nesta semana militantes fascistas da turma dos tucanalhas  e demos, anti Dilma e anti PT inventaram de criar um adesivo com   a imagem  de Dilma com as pernas abertas, esse adesivo está sendo colocado nas bocas de tanques de combustíveis de automóveis por diversas cidades do Brasil.

A entrada do tanque de combustivel é localizado bem entre as pernas da imagem da presidente. Esse adesivo está sendo vendido no Site Mercado Livre que tem como sócia e principal acionista a filha de José Serra( Tucano do PSDB).
Há mais de três anos que a tucanalha em todo Brasil estão se mobilizando com ações de intolerância contra o PT, Dilma , Lula e petistas em geral. Aqui mesmo em Dom Eliseu existem pessoas que formam grupos  anti Dilma e anti PT e anti petistas que  vivem postando textos e imagens que agridem, de certa forma.

Ações como essa é típica de estratégia fascista para intimidar adversários, essa estratégia de amedrontamento e intimidação são feitas quando grupos políticos perdem toda e qualquer capacidade de disputa eleitoral  de acordo com  as leis e regras democráticas.
Hoje a principal preocupação dos Tucanos e Demos é tentar amedrontar os simpatizantes e militantes pró governo com o objetivo de impedir que essas pessoas possam ter a tranquilidade de sair as ruas em campanha pró Lula. E sei que o PSDB joga sujo, já presenciei, no tempo do Tonhão, aqui em Dom Eliseu,  ações de alta truculência por parte da militância tucana e pró Tonhão com a tentativa de intimidar os eleitores e simpatizantes  de Deprá, foram dois dias antes da eleição de terror, pois uma gang pró Tonhão percorriam a cidade ofendendo verbalmente e agredindo fisicamente quem reagisse.

Os Anti Dilma e anti PT adoram viver no mundo da fantasia...Acordem..! Dilma ganhou a eleição de acordo com as regras usadas e utilizadas por todos os demais candidatos...Dilma vai governar e vai eleger o Lula. Entendam de uma vez, vocês perderam a eleição. Agora se aquietem e esperem até 2018 para ver Lula eleito de novo.

Dilma é respeitada por pessoas ilustres em todos os países do planeta, que  reconhecem também a importância do Brasil e dos brasileiros. Apenas aquelas pessoas frustradas com a derrota de Aécio se negam a reconhecer a importância do governo do PT, Lula e Dilma para a melhoria da vida do povo como um todo. Nações e personalidades veem o Brasil como referência de superação e êxito. Quando a pessoa nega essa verdade demonstra que não há, por parte dos antis,  o  compromisso com a transformação e com o futuro.

Mas como, infelizmente,  os anti Dilma e anti Pete recebe apenas a opinião formada pela Globo no Jornal Nacional, eles jamais vão ficar sabendo da verdade pois os anti Dilma e anti Pete adoram ser alimentados pelas mentiras das notícias da Globo.
Como todo bom  fanático, os  anti Dilma  acaba por negar seu próprio país enquanto o mundo todo reconhece a importância do Brasil e do governo PT. Mas fanáticos,  felizmente, não tem relevância nenhuma, pois o seu posicionamento destrutivo abala apenas a ele mesmo envolvido nas fantasias do cartel midiático que gera mentiras noite e dia para alimentar os fanáticos anti Dilma e anti PT que formam o exército inconsciente para fazer o trabalho sujo para  aristocracia.


quarta-feira, 29 de abril de 2015

# DEPRÁ NA CORDA BAMBA #


Ex-prefeito tentou pela aprovação das contas mas TCM negou

As contas reprovadas estão sendo
apreciadas pelos vereadores de Dom Eliseu
que receberam a recomendação
do tribunal pela não aprovação

WALQUER CARNEIRO


O Tribunal de Contas dos Municípios do Pará remeteu para a câmara de vereadores de Dom Eliseu, via Correios, as contas não aprovadas do Município de Dom Eliseu referente ao exercício financeiro de 2004, período em que Jefferson Deprá foi prefeito.

De acordo com o parecer do Tribunal as contas não foram aprovadas por uma série de irregularidades cometidas na administração de Jefferson Deprá naquele período, as quais o ex-prefeito não foi capaz de justificar.

A documentação com as contas reprovadas chegaram à casa de leis de Dom Eliseu no dia de 16 de abril, num primeiro momento a mesa diretora de câmara fez a leitura do documento informando aos vereadores sobre o recebimento da documentação com a decisão do TCM, e neste dia 28, terça-feira, os vereadores foram informados que Jefferson Deprá foi notificado, através de um ofício, a comparecer à câmara de vereadores, perante às comissões, para fazer a sua defesa em relação a desaprovação de suas contas.

A desaprovação das contas municipais, pelo TCM, do período de 2004, põe em risco uma possível candidatura de Jefferson Deprá a prefeito em 2016, e a única saída para evitar a cassação dos direitos políticos do Deprá é a aprovação das contas pela câmara de vereadores de Dom Eliseu, e para isso é necessário que nove, dos treze vereadores, votem favorável a aprovação das contas, mas levando em consideração que o TCM anexou aos documentos uma recomendação para que as contas não sejam aprovadas pela câmara de vereadores de Dom Eliseu os vereadores poderão ficar temerosos de se comprometerem em ir contra a decisão do TCM às vésperas de um ano eleitoral.

Jefferson tem até o dia 4 de maio para apresentar a sua defesa perante as comissões e a câmara de vereadores tem sessenta dias para deliberar e concluir todos os trâmites necessários para uma decisão local, e se esse prazo não for descumprido fica valendo a decisão do TCM pela desaprovação das contas do ano de 2004.

terça-feira, 7 de abril de 2015

# COMBATE A CORRUPÇÃO NÃO INTERESSA A ARISTOCRACIA #



A aristocracia não aceita perder o poder por querer manter a corrupção

O principal compromisso do atual governo
é o profundo combate a corrupção,
mas a aristocracia brasileira  
não quer o fim da corrupção.

WALQUER CARNEIRO

Desde 1920, a corrupção se agiganta  e só agora os falsos moralista burgueses  estão indignados? Os comunistas se indignaram com a corrupção lá em 1920, conseguiram eleger um grandiosa bancada de progressistas e começaram a atuar para criar condições para desmontar a rede de corrupção brasileira. Sabe o que fizeram os aristocratas? Mataram todos os comunistas, só não morreu quem  fugiu. Sabe por que os aristocratas mataram os comunistas, por que  são os aristocratas que criaram, mantém e fomentam a corrupção no Brasil. Hoje está acontecendo a mesma coisa.

Os progressistas estão governando o Brasil e cumprindo o principal compromisso assumido que é o combate à corrupção, e a  aristocracia, mais uma vez se levanta com toda a sua estrutura midiática e judiciária para inverter a situação dos valores, desmoralizar os progressistas jogando nas costas de Lula, Dilma e do PT a responsabilidade pela existência da corrupção no Brasil.
Só que hoje os progressista estão preparados para resistir e a aristocracia não têm coragem de matar os progressistas porque temos aliados poderosos, pois os movimentos sociais estão em um grau elevadíssimo de organização e conscientização ideológica.

“A burguesia aristocrática brasileira á sinceramente liberal, mas seu liberalismo e contraditório, pois desejam uma democracia cada vez mais aperfeiçoada mas nunca se conformavam com o resultado das urnas. Tem  a plena consciência que formam a elite brasileira e veem  que essa elite nunca consegue chegar e se manter  ao poder pelo voto. Então chegam  a conclusão: alguma coisa está errada. O eleitor está votando errado. E, para corrigir, precisamos de uma ação drástica; então vem  a pregação dos golpes, para depor aqueles que tinham sido eleitos e não pertenciam a elite, e, assim no golpe,  pôr a elite no lugar deles. E ver se, colocando a elite no lugar daqueles que haviam sido eleitos, esta elite preparava, de fato, o povo para votar ‘certo’. Ou seja, o golpe para corrigir aquilo que o povo havia feito errado”.

domingo, 5 de abril de 2015

# GASTON, O PT E A COLETIVIDADE #


O personalismo de Gaston e o coletivismo Petista

O Partido dos Trabalhadores de Dom Eliseu 

passa a assumir uma papel 
de protagonista inserindo 
o coletivo no processo político.

WALQUER CARNEIRO



Cidadãos são sujeitos de transformação de uma comunidade, cidadãos não devem ficar impassíveis diante das circunstâncias que são colocadas, e um desses sujeitos domeliseuense que se levantou diante das circunstancias foi Ayeso Gaston Siveiro, percebendo que algo não estava de acordo resolveu se apresentar, junto com o Partido dos Trabalhadores, e mostrar que novos caminhos poderiam ser percorridos.
 
Dom Eliseu é um município em formação, e essa transformação é posta em prática de acordo com as mobilizações de grupos organizados levando em conta seus interesses, todavia, como em toda a comunidade, Dom Eliseu tem um grande números de pessoas de todas as faixas sociais, idades e credos que não estão inseridos em nenhum grupo, são cidadãos dispersos que vivem a esperar por políticas públicas que garantam seus direitos, com trinta e quatro anos morando em Dom Eliseu até hoje não vi, ainda, um grupo político que tenha como foco a coletividade como fim. O que vejo até agora é apenas um grupo político se perpetuando no poder municipal e loteando o município de acordo com interesses familiares. Para esse grupo político que aí está a coletividade é apenas um meio para que cerca de setenta famílias façam da coisa pública um meio de vida.
 
Foi em 2008 que Dom Eliseu viu surgir essa personalidade política na figura de Ayeso Gaston Siviero, que se enquadrou no Partido dos Trabalhadores e vem se apresentando como uma alternativa política por dois pleitos consecutivo, momentos em que Gaston disputou eleições contra os dois tradicionais grupos políticos de Dom Eliseu, e nesse tempo todo Gastou criou uma esperança no povo com a expectativa de transformação.
 
A comunidade é dinâmica justamente por que é formada por seres humanos, desta forma a sociedade é influenciada pelas vontades de necessidades dos indivíduos que nela estão, e dentro de um contexto desta natureza, junto com o PT, em apoio a Gaston estão outros partidos e lideranças que estão firmes com Gaston, a exemplo de Cosmo de Luna com o PV, Wesley Vieira como PCdoB, Pastor Elias com o PSC, e agora mais recentemente o PSB com Maurício de Lima. Todos e essas legendas partidárias tem, além de suas lideranças, mais pessoas que se posicionam em apoio a Gaston.
 
Até agora Gaston tem se apresentado, em grande parte, de forma personalista, aproveitando o seu potencial carismático e a facilidade comunicativa, todavia Gaston está inserido num grupo, o Partido dos Trabalhadores, que desde o início contribuiu de forma substancial para a formação da imagem de Gaston, sendo que nestes últimos oito anos o PT vinha se contentado com o papel de coadjuvante nesta empreitada política, entretanto, em 2014, o Partido dos Trabalhadores começou a cobrar a conta do apoio dado a Gaston, assim o partido resolveu lançar um candidato a deputado estadual na pessoa do Professor Pedro Mesquita.
 
Como sujeitos de transformação de uma sociedade todo cidadão tem que estar inserido em um grupo com interesses específicos, é assim que pensa o PT de Dom Eliseu que a partir da próxima eleição, em 2016, assume um papel de protagonista na história eleitoral do municipal, agora não mais como força adicional num papel secundário, mas como ator e protagonista na condução das decisões, e disso Gaston tem estar completamente consciente, pois ao contrário haverá sérios atritos. O PT sabe da importância de Gaston para a transformação de Dom Eliseu, agora resta a Gaston assumir publicamente a importância do Partido dos Trabalhadores e demais partidos políticos aliados. Para Gaston, chegou a hora de dar os devidos créditos para aqueles que sempre lhe apoiaram nos embates políticos desde 2008.
 
Numa sociedade boa parte dos cidadãos não são sujeitos participantes ativos na luta política, esses esperam que os representantes eleitos trabalhem para construir políticas públicas que garantam a eles as condições mais dignas de vida em suas comunidades. É isso que o povo de Dom Eliseu sempre esperou do velho grupo político tradicional formado pelo Quinze e pelo Quarenta e Cinco, mas esse grupo não tem apresentado resultado que a população espera, e por isso Gaston com o PT e demais partidos aliados representam a esperança para Dom Eliseu, por isso é fundamental que o Grupo de Gaston tem que tomar a real ciência da condição do nosso município, pois eu acredito que esse Grupo não pode, e não deve, incorrer no erro de desconsiderar a coletividade, seus anseios e suas necessidades.