domingo, 31 de agosto de 2014

# RAZÕES PARA ESTAR COM DILMA #

Compromisso firme com o trabalhador é disso que o Brasil precisa

Quinhentos anos de desigualdades sociais
não são amenizadas em apenas doze anos,
o projeto do PT com Dilma precisa
de mais um tempo para se consolidar

WALQUER CARNEIRO

Nós, os brasileiros trabalhadores, não podemos permitir a interrupção desse ciclo virtuoso de crescimento e concessão de direitos fundamentais às populações mais carentes do Brasil implementados por Lula, Dilma e aliados progressistas.

O Brasil vem passando por intensas transformações benéficas,  apesar das profundas contradições da nossa sociedade complexa que desde o ano de 1.500 está sendo governado em benefício de uma pequena minoria que até o ano de 2002 desconsiderava completamente os trabalhadores e seus familiares. A partir de 2002 essa configuração do Brasil começou a mudar com Lula no Partido dos Trabalhadores, que  junto com aliados progressistas começaram um ciclo de governo voltado para conceder mais dignidade aos trabalhadores  e seus familiares. Essa sucessão de concessões de direitos tem continuidade com o governo Dilma completando doze anos de administração popular, progressista e democrática,  mas ainda não é o suficiente para consolidar definitivamente as garantias de direitos aos trabalhadores.

Neste século XXI, de ampla democracia e liberdade,  existem apenas duas formas de governar o sistema social e político. Uma forma é um governo feito por representantes da aristocracia que visa os direitos apenas dos detentores dos meios de produção relegando os trabalhadores e populações em risco social a um segundo plano. A outra forma é um governo feito por representantes dos trabalhadores direcionando vigorosas  políticas públicas para a parcela menos favorecida da sociedade em primeiro lugar, mas levando em conta a importância da manutenção da economia e do incrementos dos meios de produção como sustentáculos das políticas sociais para equalizar as profundas desigualdades do Brasil.

Essa é a forma que governo o Partido dos Trabalhadores com Lula, Dilma e aliados progressista a qual nós, os trabalhadores do Brasil não podemos abrir mão em troca e um governo para aristocratas ou um governo aventureiro que não apresenta proposta com alternativas reais e práticas. 

# MARINEIROS EM CONFUSÃO #

As fragilidades propositivas e morais de Marina

O eleitor brasileiro poderá pôr
o Brasil em um trilha perigosa
ao se deixar se envolver por
uma onda momentânea

WALQUER CARNEIRO

Militantes e cabos eleitorais de Marina nas redes sociais estão feitos loucos tentando explicar para os eleitores as contradições de Marina que a toda hora muda de opinião de acordo com pressões de possíveis aliados. Essa é uma das fraquezas que um estadista não deve ter. Fraqueza de opinião. Para governar o Brasil a (o) presidente tem que ter firme convicção de seus conceitos. Vejo Marina com uma gestora  pusilânime tal qual Janio Quadros em 1960 que não resistiu a pressão dos bancos e da mídia e renunciou jogando o Brasil numa ditadura. Vejo semelhanças de Marina com Collor que propagava ser o salvador da pátria e detentor da forma de fazer uma nova política e que sem apoio renunciou para não ser cassado. Hoje, com Marina, a situação é diferente, pois a comunicação é instantânea e essas fragilidades de candidata fica totalmente expostas e os cabos eleitorais têm que se rebolar para tentar explicar o inexplicável, e não conseguindo com êxito vão perdendo votos e apoio.

Marina não esclarece de forma lúcida como é que ela vai governar o Brasil. Qual é o seu projeto para as relações internacionais, qual o seu plano que amenizar ainda mais as desigualdades sociais, seu plano de habitação e aprofundamento da concessão de educação e saúde, combate à criminalidade e seu plano para a intensificação da industrialização do Brasil.
Nós, os eleitores, não podemos ser ingênuos, temos que agir com maturidade e não ser levado por uma emoção apenas. Falta para Marina um aprofundamento de idéias e a simplicidade na forma de mostrar essas idéias. Além de que não podemos abrir mão de permitir a continuidade de um governo, com Dilma, PT e aliados, que em doze anos pôs o Brasil como protagonista no cenário mundial e referência na forma de administrar em meio a uma crise econômica mundial.


Os Marineiros estão eufóricos com a performance de Marina, mas estão tendo enorme dificuldade em administrar as fragilidades que a candidata apresenta e que ficam mais evidente a medida que a campanha política se intensifica.