domingo, 28 de agosto de 2011

REVISTA VEJA. COMO VOCÊ É BANDIDA!

Revista Veja não respeita os princípios democráticos

A revista que tinha tudo para
ser o informativo semanal mais
respeitado do Brasil agora
pratica o jornalismo mafioso

WALQUER CARNEIRO

A imprensa livre é um dos princípios para a manutenção da democracia, além de que a verdade e honestidade  junto com a imparcialidade  é o que faz um meio de comunicação ser emissor dos  reflexos de fatos que acontecem no cotidiano de uma sociedade, isso,  dito, em tese e na teoria, porque na prática diversos fatores contribuem para o desvirtuamento  de um jornalismo isento, contudo quando um meio de comunicação com abrangência nacional é usado para jogar lama em determinado indivíduo ou grupo político temos que tomar cuidado.


O Brasil ainda não conta com um grupo de comunicação que abranja todo o país praticando  uma   imprensa  republicana e que leia a nação sem o viés político,  econômico e ideológico, a exemplo da França, Inglaterra, Alemanha entre outros.


Alguém aí pode dizer: A TV Globo e a Revista Veja cumprem esse papel ! Todavia se fizermos uma leitura mais atenta desses dois meio de comunicação, nos últimos oito anos,  iremos constatar que tanto a Globo quanto o Veja estão a serviço de uma bandeira partidária e ideológica e  o jornalismo que praticam não tem o fito de informar, mas sim tentar desmoralizar o grupo partidário do qual ela não compactua e que está no poder a oito anos e dez meses.


Ilustrando bem o que eu quero dizer um episódio recente mostra o grau de imoralidade a que chegou a revista Veja. Pois no dia 24 um repórter da revista utilizou de estratégia de delinquentes para tentar bisbilhotar a vida do ex-deputado José Dirceu. O repórter tentou invadir o quarto que Dirceu tem reservado  em um hotel de Brasília. O caso foi registrado na delegacia. 


Para saber sobre o caso Dirceu clique AQUI e depois AQUI

Não podemos esquecer que os dois meios de comunicação citados têm muito poder e abrangência nacional, e por isso têm que tomar muito cuidado na forma que conduz seu perfil editorial e  na abordagem de suas matérias jornalísticas, e não podem se dar ao luxo de partidarizar sua editoria, pois assim corre o risco de perderem o pouco de credibilidade que ainda lhes resta. Eu por meu lado já não assisto mais a Globo e nem leio mais a  Veja, porque na realidade promovem um grande desserviço à nação.

Para descobrir mais sobre as falsidades da Veja e da Globo clique AQUI e mais AQUI


sábado, 27 de agosto de 2011

TerraOculta

TerraOculta

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

URNAS ELETRÔNICAS

Segurança das urnas eletrônicas sob suspeita

O Brasil é o único país que utiliza
urna eletrônica sem comprovante
de votação, e há fortes  suspeitas
de não serem seguras

WALQUER CARNEIRO


As urnas eletrônicas se tornaram um exemplo de modernidade e garantia da certeza de que o sufrágio do eleitor realmente seria validado para o candidato ao qual  o cidadão depositou o voto de sua confiança, porém desde quando foi implantada a nova modalidade de sufrágio do voto pairam fortes suspeitas sobre a segurança de tais máquinas.

Essas suspeitas de fragilidade na segurança das urnas eletrônicas aumentaram logo após as eleições para prefeito em 2006, quando no estado de Alagoas candidatos com alto potencial de votos  obtiveram resultados pífios em setores onde tradicionalmente eles contavam sempre com votações expressivas.

E o mais preocupante é que a empresa que fornecesse as urnas eletrônicas para o tribunal eleitoral não detém o processo completo da fabricação da urna eletrônica, já que muitas peças eletrônicas a tal empresa compra de outras empresas.

Além do mais o modelo de  urna eletrônica brasileira não é utilizado por nenhum pais do planeta, pois o sistema de sufrágio eletrônico só é considerado seguro se emitir um recibo em papel comprovando que o voto foi computado.


A situação é tão preocupante que em 2009 setores progressistas do governo federal e do congresso nacional pretendiam fazer uma auditoria para investigar as reais condições dos componentes e software da urna eletrônica, porém Nelson Jobim, então ministro da justiça conspirou para que isso não fosse feito.



Para saber mais sobre relatos de suspeitas de fraudes em urnas eletrônicas clique AQUI

domingo, 21 de agosto de 2011

RUAS DE DOM ELISEU

Apesar dos investimentos estruturais a cidade apresenta um aspecto de abandono

É necessário investir pesado
numa boa equipe de garis
para que haja uma limpeza
diária pelas ruas da cidade

WALQUER CARNEIRO

Com 43 anos de colonização e 23 anos de emancipação política/administrativa o povo desta localidade ainda não atentou para a importância que esse município representa, e até agora ainda não tivemos um grupo político administrativo que governasse nosso território com  o compromisso de planejar para o futuro, e isso está sendo muito ruim para a auto estima da população , que se enfraquece sem perspectivas.

A atual administração do PMDB em Dom Eliseu conseguiu, a muito custo, nos últimos três anos,  fechar convênios cujos valores giram em torno de 30 milhões de reais, e parte deste recurso  já estão sendo aplicados em obras importantes para a população, porém há um ponto muito importante que está sendo esquecido por essa administração, e que se não for executado com urgência pode anular totalmente as ações estruturantes que estão sendo feitas.

A cidade de Dom Eliseu conta, hoje,  com quase 30 quilômetros de ruas pavimentadas grande parte no centro da cidade, e essas ruas há muito tempo não recebem uma boa limpeza periódica, e agora quando andamos pelas ruas e olhamos atentamente verificamos o estado de abandono em que se encontram essas vias públicas que há três anos não recebem uma manutenção adequada, e por isso o mato, a terra e o lixo já estão tomando conta. E isso dá um aspecto feio, de abandono e de descuido da  cidade.

Hoje as ruas de Dom Eliseu encontram-se nesta situação porque em 2009 a administração desmobilizou a equipe de 90 garis que diariamente efetuava o trabalho de retirada da terra, do lixo e do mato que se acumulavam nas sarjetas e no meio fio, e desde 2009 nunca mais foi feita a varrição e capina das ruas.

Confira as fotos que constatam a situação descrita e depois dê uma volta pelo centro da cidade, de preferência à  pé e pela manhã, por volta das 5:30, olhe atentamente e tire as suas conclusões.

Do alto e de longe parece uma linda cidade, porém quando nos aproximamos vemos que não é bem assim.



Numa cidade que conta com belos edifícios como esse não poderia permitir o lixo acumulado com lama no meio fio.




Rua Jarbas Passarinho esquina com a Rua Ceará, centro da cidade.





Outro ponto da Rua Ceará esquina com a Ribeiro Cunha.







Esquina da Rua Jarbas Passarinho com a Gonçalves Dias.




ANALFABETO POLÍTICO

O pior indivíduo é o analfabeto político. Mais atrapalha do que ajuda

Wesley Vieira é o primeiro
colaborador do blog e sua
primeira contribuição é lembrar
o poema de Bertolt Brecht

WESLEY VIEIRA*   
                            
Já dizia Bertold Brecht, em seu poema que criticou tão pesadamente aqueles que dizem ter orgulho de se alienar de conversas sobre política, que essa mesma gente é quem permite o mal social.

Notamos sua razão quando olhamos para dentro do Brasil, cujo povo, em sua maioria, tem horror a falar sobre o que acontece em Brasília, exceto falar o popular “dogma” de que “político é tudo ladrão¨.        

  


O ANALFABETO POLÍTICO
                                            POR:BERTOLT BRECHT

O pior analfabeto é
o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala,
nem participa dos
acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida,
o preço do feijão, do peixe,
da farinha, do aluguel,
do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro
que se orgulha e estufa o peito
dizendo que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política,
nasce a prostituta,
o menor abandonado, e

o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista, pilantra,
corrupto e lacaio das empresas
nacionais e multinacionais.


*Wesley Vieira é pensador, ativista político, e organizador dos movimentos sociais em Dom Eliseu formado pelo comitê estadual do PCdoB.                                                        

sábado, 20 de agosto de 2011

JUÍZA ASSASSINADA

O assassinato da juíza carioca não comoveu o povo brasileiro

O cidadão ainda não percebeu que a
nação está refém dos brutos sem alma,
e enquanto isso todos nós nos emocionamos
com a morte da personagem da novela
WALQUER CARNEIRO


O assassinato da Juíza carioca Patrícia Acioli, de 47 anos, morta em Niterói no dia 11 ,
mostrou para o Brasil inteiro a verdadeira condição social em que se encontra esse país,  e o negror de corrupção que se espalha por todos os lados e cantos desta nação, levando em conta que o Rio de Janeiro é o reflexo do Brasil.

De acordo com as informações do Portal do Jornal O Globo,  as investigações para chegar até os assassinos da juíza estão focadas em três processos que s Dra. Patrícia havia julgado recentemente e que envolvia policiais militares e civis acusados de formação de milícia.

É aterrorizante a constatação que se faz quando observamos as verdadeiras razões que levaram à morte aquela magistrada no exercício de suas funções, e o que fica evidente é que, a partir do assassinato da juíza,  todos os poderes legalmente constituídos passam a ficar reféns do crime organizado, já que o poder público em todas as instâncias é incapaz de garantir segurança para um membro do judiciário que atuava de forma enérgica no combate aos desmandos da bandidagem no Rio de Janeiro.

Analisando mais  profundamente chega-se a conclusão de que não há saída, pois há muito tempo vemos a falta de vergonha e a desfaçatez em muitos  representantes dos poderes executivos, legislativo e judiciário. É tanta a falta de moral e ética que inibe poderosamente aquelas autoridades que querem atuar decentemente, pois diante de tanta bandalheira não encontram respaldo para tomar as justas decisões, e quando, de forma quixotesca,  tentam levar avante seu ideal acabam perecendo nas mãos de brutos sem sentimentos,  que por causa da certeza da impunidade não respeitam as convenções sociais.

A Juíza Patrícia não era apenas mais uma burocrata do poder judiciário, ela não se contentava em apenas ler os autos e ouvir as testemunhas, ela ia mais além, pois se envolvia profundamente nas investigações analisando as provas e participando das perícias dos casos que ela acompanhava, e isso fazia com que ela tivesse uma visão privilegiada dos tais casos, o que dificultava qualquer tentativa dela ser influenciada pela retórica dos advogados ou testemunhas.

A insensibilidade diante de tal tragédia que é a degradação moral do nosso país fica evidente no momento em que milhões de pessoas de todas as classes sociais, do operário ao mais graduado professor de filosofia,  ocupam o tempo em discutir a morte de uma personagem de novela, uma mera ficção que emociona e comove  toda uma nação como se fosse a mais concreta verdade, enquanto paralelamente o que deviria ser tratado com forte empenho e encarado como real concretude  é tida  como uma mera ficção. A morte da valente juíza é discutida apenas como um jogo de futebol que só espera a próxima partida para uma nova rodada de  debates, e no caso do assassinato da magistrada é só o tempo da mídia encontrar outra tragédia para que todos esqueçam que um dia existiu uma Juíza chamada Patrícia.

O portal do jornal o Globo produziu um matéria mostrando as razões que levaram ao assassinato da Juíza Patrícia Acioli. Cloque AQUI para saber tudo.  

terça-feira, 16 de agosto de 2011

DILMA MORALIZA


Senador Pedro Simon pede que parlamentares apoiem medidas moralizadoras

Muitos senadores e 

deputados querem 
prejudicar Dilma 
por demitir corruptos


FONTE: AGÊNCIA BRASIL

Segundo o Senador Pedro Simon (PMDB-RS), os líderes não discutem se os projetos devem ou não devem ser aprovados, mas deixam entender que isso significa que algumas propostas podem ser aprovadas para prejudicar o governo. “Apelo ao meu partido, o PMDB, e depois aos outros partidos, que paremos para meditar [sobre esta situação].”

Para ele, as demissões feitas por Dilma são um exemplo que não foi dado por seus dois antecessores, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, que não demitiram ninguém. "Ela demitiu, no início do governo, a começar pelo homem da sua maior confiança, o seu primeiro nome, alguém que se sabe que ela escolheu, num ministério onde parece que a maioria, quase a imensidão, foi indicada por outras pessoas, a começar pelo Lula. O chefe da Casa Civil [Antonio Palocci] ela tinha escolhido. Ela demitiu”, disse Simon.

Logo após Simon, também falaram em apoio a Dilma os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF), Jorge Viana (PT-AC) e Ana Amélia (PP-RS). “Estamos aqui para manifestar ao Brasil inteiro que estamos ao lado da presidenta no momento em que ela demite pessoas que estão sob suspeição. Isso é um ato novo neste país, salvo algumas exceções no passado”, disse Cristovam. Ele aproveitou para pedir à presidenta que ouça mais os parlamentares e que construa uma base sem fisiologismos.

Ana Amélia, que tem votado de maneira independente e chegou a assinar requerimentos para a criação de comissões parlamentares de inquérito, criticou a maneira como o Poder  Executivo tem se relacionado com o Legislativo, mas apoiou as iniciativas de Dilma. A senadora manifestou disposição de participar da formação de uma frente parlamentar, embora ressaltando que não haverá alinhamento automático ao governo.

"É, pontualmente, um apoio político para que ela não fique refém de outras forças que não queiram o que estamos pretendendo aqui: moralidade, gestão, qualidade, profissionalização do serviço público. É apenas isso. Estamos aqui para dar-lhe o apoio necessário, do ponto de vista político, para que ela continue nessa ação.”.

Para Ana Amélia, a presidenta precisa ainda diminuir as contratações por indicação políticas nos ministérios, realizar mais concursos e dar promoções por mérito no serviço público.

Há mais 17 oradores inscritos para falar na sessão de hoje, a maior parte deles convocada por Pedro Simon para defender as ações de moralização no governo, num movimento que começou na última sexta-feira (12).

CORDEL NA ESCOLA

O romance nordestino pode auxiliar no aprendizado

A mais tradicional e popular
literatura nacional está fora
da escola e sociólogo defende o cordel
nos ensinos fundamental e médio

A literatura de cordel tem um papel fundamental na história do Brasil, mas esse gênero ainda é muito desconhecido, lamenta o professor de sociologia Fernando Antônio Duarte dos Santos, o Nando Poeta. Ele coordenará, no próximo dia 27, o 1º Fórum de Cordel em São Paulo, que reunirá acadêmicos, pesquisadores e poetas para debater a importância do ensino dessa arte nas escolas de ensino médio e fundamental.


Nascido no Rio Grande do Norte, Nando Poeta leciona há quatro anos em uma escola estadual da zona sul da capital paulista. Ele é um dos defensores dessa difusão cultural. – O cordel ainda é muito excluído da academia, com algumas exceções, a exemplo da USP (Universidade de São Paulo), que tem uma cadeira para o estudo. Segundo o professor, mesmo no Nordeste, os espaços ainda são muito fechados.


Para Nando Poeta, o fato de a literatura de cordel estar muito direcionada às temáticas sociais torna ainda mais importante a ampliação de espaços para o ensino desse gênero.


De acordo com o professor, uma das obras de cordel mais requisitadas é a de autoria de José Pacheco: A Chegada de Lampião no Inferno. Um dos trechos diz: – Um cabra de Lampião/Por nome Pilão Deitado/ Que morreu numa trincheira/Em certo tempo passado/Agora pelo sertão/Anda correndo visão/Fazendo mal-assombrado.


No cinema, o cordel também foi adotado em trabalhos como O Homem Que Virou Suco, filme brasileiro de 1981, dirigido por João Batista de Andrade, e Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964), de Glauber Rocha. 

domingo, 14 de agosto de 2011

DIA DO PAI

Para não passar em branco aqui vai uma postagem aos pais 


Há não muito tempo a 
figura do pai na família
era a de firme coluna, 
hoje o que vemos é a 
mãe exercendo essa função



sábado, 13 de agosto de 2011

PARA REFLEXÃO

Gente é tão louca e no entanto tem sempre razão*


O indivíduo se apega ao ego, 
faz tudo sem  pensar ao 
certo como querer, e aí corre 
feito louco sem ver a direção 


Que estranha criatura  
é o ser humano.
Não pede para nascer,
não sabe viver e
não quer morrer.


*A frase do título dessa matéria é atribuída a Raul Seixas, e o texto com fundo amarelo eu não sei.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

VIDEOS DE DOM ELISEU NA NET

Imagens de Dom Eliseu  em vídeo  corre o mundo na internet

Matérias jornalísticas 
produzidas em Dom Eliseu 
e que estão na rede 
mundial de informações 

WALQUER CARNEIRO

O Blog Porta Pro Futuro tem um compromisso firme com Dom Eliseu, e por isso enquanto o administrador desta pagina contar com vigor físico, intelectual e a permissão de Deus todo poderoso será feito tudo o possível para divulgar os acontecimentos da região,  sempre interagindo com outros meios de comunicação local. 

Diante dessa determinação quero deixar aqui para todos aqueles que visitam esta Porta Pro Futuro a indicação de um um site onde estão  hospedados diversos vídeos produzidos em Dom Eliseu com informações essenciais, as quais  muitos moradores da cidade ainda não tiveram acesso, além de que os tais vídeos também pode apresentar Dom Eliseu para pessoas de outras paragens que acessam a Porta Pro Futuro. 

São 25 vídeos com os mais variados assuntos, desde entretenimento, produção agrícola e reportagem policial, todos produzidos por profissionais  local.


Para acessar clique no link a seguir VÍDEOS DE DOM ELISEU

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

CONFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

Dom Eliseu realizou mais uma edição da conferência de assistência social

Participação de boa variedade de
representantes da sociedade civil
e governo contribuiu para o êxito do
debate aprovando pontos importantes

WALQUER CARNEIRO

No dia 5 de agosto aconteceu a VII Conferência Municipal de Assistência Social de Dom Eliseu voltada para a consolidação do sistema único de assistência social focando temas e subtemas visualizando a valorização dos trabalhadores e a qualificação da gestão dos serviços, programas, projetos e benefícios, assuntos que nortearam as discussões sobre as estratégias para a estruturação da gestão do trabalho no SUAS -  Sistema Único de Assistência Social -, reordenando e qualificando os serviços socioassistenciais para fortalecer a participação do usuário e o controle social para vencer os desafios do SUAS na erradicação da extrema pobreza no Brasil.

A conferência foi pautada nos debates das metas e temas propostos pelo SUAS para que seja implantado novos métodos de trabalho na assistência social em Dom Eliseu a partir de 2012. A dinâmica da conferência foi a discussão das ideias em quatro grupos formado por vinte pessoas que apresentaram cinco propostas cada um. Os trabalhos foram orientados pela conferencista a conselheira estadual de assistência social em Belém, Maria Auxiliadora da Rosa que contribuiu na condução dos trabalhos.

O evento também teve o propósito de acertar os rumos da assistência social em Dom Eliseu levando a  população se manifestar em seus anseios para que seja constituída uma lei para garantir  direitos  aos serviços sociais, e para  Paulo Cesar Oliveira, secretário de assistência social de Dom Eliseu,  essa é a forma correta para alcançar êxito.  “Nós sabemos que o caminho é esse, discutir as propostas para oferecer um melhor atendimento, pois a partir do momento que as ideias aprovadas são postas no papel há um despertar para que sejam implantadas para melhorar o atendimento ao cidadão”, ponderou ele.


As propostas  foram debatidas, votadas e aprovadas em decisões tomadas pela plenária que reuniu 88 pessoas representando instituições da sociedade civil organizada e da administração pública municipal que durante o dia todo debateram as questões, e a psicóloga  Daniela Azevedo que atende no  Creas – Centro de Referência Especializada em Assistência Social -, disse que  é  muito importante que as conferências continuem acontecendo porque é uma forma da população se manifestar os seus anseios na demanda da assistência social para que seja constituída uma lei para garantir o direito da população aos serviços sociais. “O objetivo dessa conferência é melhorar as condições de atuação dos trabalhadores na assistência social, pois esse trabalhadores precisam ser bem cuidados”, apontou a psicóloga.

Os debates foram centrados nas formas do servidor da assistência social receber cuidados e amparo,  sendo preparados para atender adequadamente a população, e Daniele expôs   que melhorar a condição do assistente social é essencial  para que eles possam atender bem ao usuário. “Esses trabalhadores cuidam das famílias do município e se deparam com situações de estrema vulnerabilidade, pobreza e violação de direitos, essa é uma demanda pesada, com uma carga emocional muito forte”, falou ela .

A  conferência contou com uma participação muito diversificada da sociedade civil organizada e um dos destaques foi o Projovem, programa do governo federal que envolve jovens estudantes de 15 a 17 anos oriundos de famílias carentes inscritas no Programa Bolsa Família, e para Jardenia Rodrigues, coordenadora do Projovem,   é fundamental a participação dos jovens, já que suas famílias são usuárias dos serviços da assistência sicial. “Essa é a oportunidade que eles têm de conhecer como funciona esse sistema de assistência social e contribuir elaborando propostas,  pois a assistência social trabalha com programas direcionados aos jovens do Projovem”, observou Jardenia lembrando que eles sabem de suas reais necessidades e o que eles querem para melhorar sua vida, usando o  conhecimento na vida futura em suas atividades geral.


Dez jovens foram inscritos como participantes do evento e colaboraram com ideias e montaram  propostas solicitando cursos para preparar o jovem para o mundo do trabalho que foram apresentadas na plenária. Para Rômulo Costa Souza, 15 anos, estudante da 8ª série disse que  apesar de ser a primeira vez a participar foi muito proveitoso, já que o evento visa o bem estar do cidadão de Dom Eliseu. “Eu gostei muito desta experiência que foi importante para nós jovens e para todos os participantes que aprendemos mais”, afirmou o jovem que ficou impressionado com a quantidade de proposta apresentadas e aprovadas. “As que mais me chamou a atenção foram  as que falam de por professores de educação física  nos programas sociais, e disponibilizar,  aqui em Dom Eliseu, cursos para formar assistentes sociais dando oportunidade para os estudantes locais” disse ele. 

O Lions Club foi uma das instituições que marcaram presença na conferência municipal de assistência social, e Marilene de Lira, representante da instituição demonstrando muito entusiasmo disse não que foi tempo perdido ter participado da conferência. “É onde a gente vê o quanto a assistência social é importante e traz um beneficio muito grande para Dom Eliseu,  e  mexer com a assistência social é uma coisa muito bonita”, raciocinou ela lembrando que um evento desses  é um aprendizado fora de série.


Ieda da Luz, vice presidente do Conselho Municipal de Assistência Social e coordenadora da conferência municipal de assistência social, analisou que o evento foi muito produtivo porquê contou com a participação de um considerável número de pessoas que participaram ativamente das discussões e alcançado o objetivo. “As propostas aprovadas são riquíssimas e tenho certeza que algumas nossas delas serão aprovadas em Belém”, exultou Ieda contando que parte do êxito se deve ao apoio da conferencista  Maria Auxiliadora da Rosa. “Foi sensacional, pois ela é uma profissional competente, e excelente conselheira estadual e  veio nos dar subsídios”, finalizou ela.

Para Maria Auxiliadora apesar do bom índice de comparecimento e participação foi registrada pouca presença dos usuários,  que é a quem se destinam os serviços de assistência social. “A participação foi muito boa,  mas, a exemplo de outros municípios,  ainda há pouca participação do usuário por falta de conhecimento destas políticas”, refletiu ela acrescentando que faltou mais peso na informação para a população em geral. “Esse é um papel do conselho municipal de assistência, informar e divulgar essas conferências para que os usuários da política de assistência social possam participar do amplo debate que é a conferência municipal se assistência”, disse convicta.


Na ocasião foi feita a eleição de oito delegados  que irão representar Dom Eliseu na conferência estadual de assistência social que acontecerá em Belém. As propostas são levadas às conferências estaduais e nacional, aonde se consolida uma única proposta que retorna ao município como política pública na área da assistência social.


RESULTADOS DA CONFERÊNCIA

Pontos aprovados contemplam o povo e o servidor em assistência social

O resultado da conferência aponta para
a necessidade de melhorar a condição
do servidor da assistência social
para refletir no atendimento ao povo

Ao fim da conferência foram aprovadas 27 propostas que foram organizadas em um documento, registradas em uma ata que assinada por todos os oito delegados eleitos que irão apresentá-las nas conferências estadual nos dias 17,18 e 19 de outubro em Belém.

Foram variados os pontos aprovados diante da  diversidade das necessidades sociais da população carente e dos servidores públicos na assistência social, e o documento contempla cidadãos da cidade e do campo mostrando a necessidade de crias condições para erradicar o analfabetismo que leva como consequência a pobreza.

A conferência viu também a importância de garantir estabilidade aos servidores da assistência social e apontou para a urgência da efetivação legal da categoria dando a eles a chance de capacitação continuada e melhorias no local de trabalho e assistência social para  a classe com ações de amparo aos trabalhadores.

VEJA A BAIXO TODOS OS PONTOS APROVADOS NA VII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE DOM ELISEU.  

PROPOSTAS APROVADAS PARA ASSISTÊNCIA SOCIAL


Conferência aprova propostas que podem ser realizadas

As propostas serão
apresentadas na
conferência estadual em
Belém no mês de outubro

TEMA: Avançando na Consolidação do Sistema Único da Assistência Social com a Valorização dos Trabalhadores.

I  - Estratégias para a estruturação da gestão do trabalho no SUAS.

1 - Capacitação continuada permanente para todos os funcionários da Assistência Social, como garantia de recursos do Fundo Municipal de Assistência Social e da Prefeitura. Como sugestão criar uma Escola de Governo para Assistência Social.

2 - Concurso Público para todas as áreas que Assistência Social abrange: assistentes sociais, advogados, psicólogos, sociólogo, pedagogo, orientadores, coordenadores de CRAS e CREAS, vigias, serventes, visitadores, facilitadores, educadores sociais e professor de educação física e professor de libras.

3 - Criação de uma Comissão ou Equipe de Saúde (Assistente social, terapeuta ocupacional e Psicólogo) para atender os trabalhadores do SUAS.

4 - Criação de Plano de Carreira Cargos e Salários.

5 - Criação do Sindicato dos Trabalhadores do SUAS.

II  - Reordenamento e qualificação dos serviços Socioassistenciais.

1 - Priorizar que o Gestor Municipal gerencie o Fundo da Assistência Social (Secretário de Assistência Social em conjunto com a instância de controle social).

2 - Adequação dos espaços físicos de atuação da Secretaria de Assistência Social, CRAS, CREAS e setor CADÚNICO para os programas sociais de Dom Eliseu, conforme a ABNT, objetivando a acessibilidade dos usuários

3 - Capacitação continuada para todos os trabalhadores do SUAS.

4 - Ampliação do projeto já existente (Projeto Inclusão Produtiva) na Secretaria de Assistência Social abrangendo os outros programas sociais.

III – Fortalecimento da participação do controle social.

1 - Capacitação continuada e permanente para conselheiros, trabalhadores e gestores.

2 - Mobilização da Comunidade para criação das associações de moradores nos bairros, distritais e na zona rural onde ainda não existe a organização da comunidade, além do fortalecimento das associações já existentes.

3 - Criação do disk denuncia municipal do Bolsa Família.

4 - Garantir uma equipe de apoio para instancia do Controle social. Uma Secretária Executiva com nível superior e um espaço físico estruturado.

5 - Incentivar a participação efetiva dos usuários do SUAS nos fóruns de discursão, conferências, seminários, palestras e oficinas.


IV – Os desafios do SUAS na erradicação da extrema pobreza no Brasil.

1 - Elaboração de Diagnostico Social do Município (anualmente) para criação de Projetos Sociais que atendam as particularidades locais.

2 - Criação de um Centro de Cidadania e Inclusão Social do Município (documentação, inclusão produtiva e capacitação profissional).

3 - Elaboração de Projetos Alternativos em Parceria com Secretaria Municipal de Educação para Jovens e Adultos responsáveis por suas famílias.

4 - Ampliação das condicionalidades da Educação do Bolsa Família para o pais e responsáveis em situação de analfabetismo nas três esferas de governo.

5 - CRAS Itinerante para o atendimento das colônias da Zona Rural nos municípios do Estado.

6 - Mobilização da Comunidade para criação das associações de moradores nos bairros, distritais e na zona rural onde ainda não existe a organização da comunidade, além do fortalecimento das associações já existentes.

7 - Criação do disk denuncia municipal do Bolsa Família.

8 - Garantir uma equipe de apoio para instancia do Controle social. Uma Secretária Executiva com nível superior e um espaço físico estruturado.

9 - Incentivar a participação efetiva dos usuários do SUAS nos fóruns de discursão, conferências, seminários, palestras e oficinas.

10 - Ações periódicas planejadas de cidadania em Conjunto com os CRAS.

11 - Fortalecimento dos Programas Sociais na Agricultura familiar e MDS junto a política de Assistência Social.

12 - Parceria com as Secretarias Municipais de Saúde através das ações planificadas com ACS (Agente Comunitário de Saúde).

13 - Desenvolver os cursos profissionalizantes para os idosos.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

INGLATERRA EM CHAMAS

População de migrantes em situação de risco fazem rebelião

A imprensa mundial passa a imagem
de que a população negra está
vandalizando as cidades, mas os meios de
comunicação escondem a realidade dos fatos


As duas noites de conflitos que atingiram Londres aprofundaram os conflitos sociais em áreas pobres da capital britânica, disseram líderes comunitários nesta segunda-feira, mas a polícia e políticos disseram que muito da violência foi oportunista. O estopim para a explosão de violência foi a morte, na quinta-feira,  por policiais, de Mark Duggan, um morador do distrito multiétnico de Tottenham, no norte de Londres, depois que os oficiais pararam um táxi em que ele estava.


Jovens encapuzados atearam fogo em carros da polícia e em um ônibus de dois andares em Tottenham, na noite de sábado, depois que um protesto pacífico contra a morte acabou em violência. Um bloco de 26 apartamentos foi completamente tomado pelo fogo depois que o tapete da entrada foi incendiado, obrigando as famílias desesperadas a irem para a rua.


A violência se espalhou para outras partes de Londres no domingo, incluindo Brixton, no sul de Londres, outro distrito onde vivem minorias raciais, que, como Tottenham, foi sacudido por conflitos nos anos 1980. Jovens foram vistos carregando televisores de algumas lojas, enquanto outros tentavam saquear lojas de calçados esportivos.


Um quarto de século depois, com a economia britânica crescendo pouco e com cortes governamentais nos gastos públicos atingindo áreas de alto desemprego, como Tottenham, alguns moradores dizem que viram a semente de mais distúrbios.

Osagyefo Tongogara, um ativista comunitário que estava em Tottenham durante os conflitos de Broadwater Farm nos anos 80, disse: "Há muitos paralelos com 1985. Eu não chamo isto de conflito, chamo de rebelião". "As pessoas estão furiosas e frustradas. Se você tem uma comunidade com altos níveis de desemprego e corte na assistência às crianças, então isso é o que vai acontecer", disse.
"Nós temos dito que isto é uma crise financeira global e que todos nós estamos nisto juntos, mas deveríamos estar?", perguntou Tongogara. "Eu não sei tudo sobre a crise em torno da morte deste jovem. Mas você não pode apenas culpar isto (os distúrbios) ou a criminalidade. É uma explicação simplista",considerou.

Mas Chuka Umunna, um político do Partido Trabalhista, que representa um distrito próximo de Brixton, disse nesta segunda que a "raiva da frustração foi desencadeada pela trágica morte" de Duggan não era desculpa para a violência que se seguiu. "Isto é chocante, é completamente oportunista e totalmente inaceitável", ele disse.



O incidente que atingiu Tohhenham se envolveu em mistério nesta segunda-feira. A Comissão Independente da Polícia (IPCC), que está investigando a situação, inicialmente disse que Duggan, de 29 anos, pai de quatro filhos, foi morto em uma troca de tiros. A dúvida agora paira sobre a versão inicial dos eventos.

O IPCC teve que enfrentar inclusive rumores de que Duggan tinha sido baleado na cabeça, "estilo-execução". Resultados balísticos são esperados nesta terça.

O professor Gus John, da Universidade de Londres, acadêmico nascido em Granada, e que tem escrito extensivamente sobre questões raciais na Grã-Bretanha, disse que não vê os revoltosos como brutos e "cretinos", e que falharam ao analisar questões profundas.

"Quando eu ouço a secretária da Casa Civil Theresa May dizendo isto, é quase idêntico ao que o secretário Willie Whitelaw disse durante os protestos de Brixton, em 1981. Não resolveu nada", disse. "A questão é, o que predispôs estes jovens a agirem dessa forma agredindo a própria população negra da qual eles fazem parte?” , questionou o professor.

Além disso, John disse que a comunidade negra precisa ter uma visão crítica relacionada à reação à morte de Duggan. Ele afirmou que o policial que tinha parado o táxi onde Duggan estava agiu de forma "aparentemente legítima" como parte da Operação Trident, preparada para evitar que jovens negros matassem outros jovens negros com armas. "Como pode uma comunidade negra querer que alguma coisa seja feita sobre esse tipo de violência e, quando alguma coisa é feita, reage assim?", perguntou.

A raiz da violência está na morte de Mark Duggan, jovem negro de 19 anos, em Tottenham, zona norte da capital. A polícia diz que matou Duggan durante um tiroteio e afirma que ele era um traficante. A família nega e garante que o jovem foi executado após uma blitz na região. A Scotland Yard não deu detalhes sobre a morte e disse apenas que o caso seria investigado.

A gravidade da situação fez a ministra do Interior, Theresa May, interromper suas férias e voltar a Londres. Depois de muitas críticas, o primeiro-ministro David Cameron e o prefeito de Londres, Boris Johnson, fizeram o mesmo.

Cameron, convocou para quinta-feira (11) uma reunião extraordinária do Parlamento para debater a série de protestos em vários bairros de Londres e que se alastraram para várias cidades britânicas. Para a reunião, o Parlamento interromperá as férias.

A polícia de Londres descreveu a violência registrada durante a noite de ontem (8) e a madrugada de hoje (9) como a pior na capital britânica. Foram presas 200 pessoas.

“As pessoas não devem duvidar de que faremos tudo para repor a ordem nas ruas”, disse Cameron, que classificou os manifestantes de “doentes”. Houve registros de roubos, embates entre manifestantes e policiais, e de objetos públicos, como lixeiras, incendiadas. o governante não dirá, mas doente mesmo está o sistema político e econômico opressor, que gera a violência policial e faz alastrar a onda de descontentamento, distúrbios e conflitos.

A decisão foi tomada após uma reunião de emergência, responsável por situações de crise civil na Grã-Bretanha, comandada por Cameron.