segunda-feira, 4 de novembro de 2013

# POR QUE PROFESSORES EM GREVE? #

A greve dos professores tem uma causa justa

A meta do governo do Quinze,  que
representa o atraso conservador,  é a
desmoralização do professor para o
retrocesso da educação em Dom Eliseu


WALQUER CARNEIRO

Professores em assembleia  decidindo pela greve

O juiz de direito da comarca de Dom Eliseu, Manoel Antônio Silva Macedo, julgou improcedente ações do prefeito Joaquim contra os professores,  onde o juiz decreta a nulidade do decreto do prefeito que exonera professores, anula diploma e suspende o desconto da contribuição sindical dos professores direto no contracheque.

Mas estranhamente o prefeito, até agora, não cumpriu com a determinação judicial, além de que o juiz de Dom Eliseu saiu de férias e ainda não se pronunciou sobre a atitude do prefeito referente ao descumprimento do decreto judicial.  

 Contra fatos não há argumentos, e na verdade o administrador municipal vem se empenhando em promover a desvalorização dos trabalhadores da educação pública municipal de Dom Eliseu, e  temos que lembrar, pois é importante dizer,   que está devidamente comprovado que o prefeito municipal atropela garantias constitucionais ao arrepio da lei. 

Cópia da decisão judicial que anula decreto do prefeito

Primeiro o gestor municipal efetivou mudanças no plano de cargos, carreira e remuneração dos professores sem que os mesmos fossem chamados para participarem da reformulação da lei. Essa reformulação causou perdas que chegam até 50% do salário do servidor da educação; depois, através de um decreto o prefeito anulou 300 diplomas sem uma explicação lógica, já que própria secretaria municipal de educação aceitou tais diplomas; além disso, sem explicação lógica, 12 professores foram sumariamente exonerados.

Diante de tudo isso o Sintepp – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública -, coordenação de Dom Eliseu, vem mobilizando a categoria na reivindicação pela garantia de seus direito. Hoje são mais de 500 professores e trabalhadores em educação filiados ao sindicato e contribuintes com a mensalidade sindical que, por lei, pode ser descontada direto no contracheque do servidor, o que garante autonomia financeira ao Sintepp, todavia esse desconto foi suspenso por uma ordem do prefeito Joaquim.

O protagonismo do Sintepp na mobilização e conscientização dos professores na garantia dos seus direitos vem incomodando a turma do Qunze, é justamente por isso que o prefeito mandou  suspender  da contribuição descontada direto na folha de pagamento. Essa  foi a forma que o secretário de educação encontrou para  tentar enfraquecer o Sintepp, diminuindo as finanças do sindicato que vem atuando de forma enérgica mobilizando os professores contra as atitudes autoritárias do prefeito e secretário de educação.  

A meta do governo do Quinze,  que representa o atraso conservador,  é a desmoralização do professor para o retrocesso da educação em Dom Eliseu. Essa atitude faz parte de um plano a nível federal das forças conservadoras e arcaicas nacional, que em Dom Eliseu são  representadas pelo PMDB, PSDB e DEM,  com o objetivo de manter a população no analfabetismo para que assim essas forças conservadoras possam se apropriar com mais facilidade dos recursos e da riqueza da nação que são enviadas para Dom Eliseu pelo governo de Dilma e do PT.