quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

# O MEU PESADELO #

Uma escolha para ir na direção da luz

Confusão e conflito promovem
a desintegração causada
pelos atritos em delimitar
fronteiras de si entre outros


WALQUER CARNEIRO 


Nesta noite em meu pesadelo usual um cara apareceu, terno, gravata e uma maleta na mão. Olhou para mim e disse: - Meu camarada, eu te acompanho pelas redes sociais.-  Sentou ao meu lado enquanto uma nuvem negra cobria a linda paisagem de cores, flores e sons pinkfloydianos do meu sonho. O cara enfiou a mão no bolso do paletó e retirou um maço de cigarros do mais caro, acendeu a me ofereceu um; recusei e disse: -Disso eu não preciso mais, já me libertei dessas materialidades inúteis.- O cara sugou longamente o cigarro e soltou uma baforada e me disse: -Garoto, você tem futuro, você vai longe, mas suas ideias são perigosas demais para o projeto dos aristocratas, eu posso te dar uma vida boa apenas para vc ficar calado.- Nisso em meio as nuvens negras iniciou-se uma trovoada com relâmpagos e uma densa e  angustiante chuva começou a desabar; o cara abriu um grande guarda chuva e disse: -Venha abrigue-se aqui comigo, essa chuva é ácida e vai te corroer.-  Na chuva eu olhei para mim mesmo e me vi íntegro, fiz um sinal com a cabeça mostrando que não aceitava a proposta e me fui enquanto as negras nuvens se abriam, um glorioso sol refulgia, as cores, as flores e o som vibrantemente melodioso se sobrepunha aos grunhidos do engravatado que se dissolvia numa nevoa negra consumido pela luz.