sábado, 23 de fevereiro de 2013

# BAUXITA RIQUEZA DA REGIÃO #

Produção de alumina poderá promover o progresso

Dom Eliseu perdeu a usina para Rondon do Pará,
mas se o município se preparar poderá
absorver recursos através de serviços
terceirizados na cadeia econômica secundária

WALQUER CARNEIRO



No dia 20 uma equipe técnica da Votorantim Metais foi recebida pelos vereadores de Dom Eliseu. A Votorantim Metais é um braço do grupo Votorantim que está implantando uma usina de refinação de bauxita na região. Por algum tempo o povo de Dom Eliseu nutriu a esperança que a base deste empreendimento fosse instalada em nossa cidade, mas definitivamente o município perdeu mais essa oportunidade de oferecer para a população uma melhoria na condição de emprego e renda. Foi o que deixou claro o representante da Votorantim Metais ao afirmar que todos os investimentos serão aplicados no município de Rondon do Pará. 


Dom Eliseu e Rondon do Pará estão localizados na Província Mineral de Paragominas, a maior mina de bauxita do mundo, que é de onde se extrai a alumina, matéria prima para a fabricação do alumínio. As pesquisas constataram uma presença satisfatória do minério de bauxita na mina localizada na divisa destes municípios, mas será Rondon do Pará que receberá a instalação da segunda maior usina de processamento de bauxita do mundo, e que a partir de agora passa a abrigar a Alumina Rondon.


Ao alto Sergio Oliveira, da Votorantim Metais fala aos vereadores, e acima duas imagens da mina de pesquisa de bauxita  da Alumina Rondon

O minério contido na mina de bauxita localizado na região Rondon do Pará/Dom Eliseu será processado por uma usina de refinação do minério, e a capacidade de exploração mineraria gira em torno de 43 bilhões de toneladas localizado a uma profundidade média de 15 metros, e a previsão é de que será processada cerca de 3 milhões de toneladas por ano.




De acordo com as informações do gerente de sustentabilidade da Votorantin Metais, Sergio Oliveira, e a expectativa é que a produção plena de alumina se dará em 2017 e perdure por mais 40 anos com um investimento de 6.6 bilhões, na primeira etapa, com a possibilidade de gerar 7 mil empregos a partir da segunda etapa , sendo que o início das contratações se dará em 2014. “O funcionamento da refinaria de bauxita permitirá a criação de uma cadeia de empregos e serviços, e para cada emprego direto gerado na indústria, mais três serão gerados indiretamente”, explicou Sergio informando que a Rondon Alumina estará pondo a disposição dos jovens uma série de cursos de qualificação preparando essas pessoas para o mercado de trabalho. “Esses cursos irão beneficiar 3.500 pessoas que após receberem o certificado passarão por uma avaliação da empresa que poderá contratar os mais aptos”, revelou ele acrescentando que de qualquer forma as pessoas que fizerem os cursos contarão com um item a mais para o currículo. “A empresa também vai levar em consideração a cota de gênero, e nosso objetivo é inserir a maior quantidade possível de mulheres”, finalizou Sergio. 

Sergio destacou que o fato da empresa ser instalada no município de Rondon do Pará não impedirá que Dom Eliseu seja beneficiado, mas para isso a cidade terá que se preparar para absorver a demanda por mão de obra secundária na cadeia econômica criada pela mineração na região. 

6 comentários:

  1. Será que Dom Eliseu (53.100 hab)não está à altura de receber uma empresa de grande porte, ou foi a falta de preparo (ou investimento insuficiente)dos nossos governantes? Nossa cidade precisa de mais empresas e mais empregos para o nosso povo...

    ResponderExcluir
  2. Perdeu como, se desde o inicio a Votorantim Metais afirmou que seria em Rondon do Pará.

    ResponderExcluir
  3. Perdeu como se desde o inicio o projeto era pra Rondon do Pará, por isso que o projeto chama alumina Rondon.

    ResponderExcluir
  4. Como fica os trasportes a empresa vai dá eu sou de sp e sei o que e empresa trabalho e uma usina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geovani, é certeza que a Alumina Rondon vai efetivar a contratação de veículos de cargas. O que você tem que fazer é entrar em contato com o escritório da empresa em Rondon do Pará para obter mais informações.

      Excluir
  5. e o cistema de trasporte a empresa vai dá

    ResponderExcluir