quinta-feira, 22 de novembro de 2012

NOITE DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Shows de variedades e afirmação da negritude 

Conscientizar a população negra 
sobre seu papel na sociedade e 
a importância do movimento 
pela real igualdade dos direitos 

WALQUER CARNEIRO


A Escola Estadual de Ensino Médio Luiz Gualberto Pimentel, em Dom Eliseu, está sendo responsável pela promoção do diálogo que está levando a nova geração local a entender de forma clara a questão de cultura africana e do povo de pele negra no Brasil. O debate foi aberto no sábado (17) com a IIª Noite da Consciência Negra onde aconteceu um show de variedades com os estudantes apresentando números de dança, música, humor, e um desfile de modas. Todas as apresentações foram produzidas e executadas pelos estudantes e orientados por uma coordenação composta por educadores. 

No dia 20 aconteceu o Seminário da Consciência Negra onde foram apresentados artigos e estudos sobre como a negritude brasileira influenciou na criação de uma identidade nacional, e para Josélia Reis, educadora e uma das coordenadoras da Semana da Consciência Negra, esse diálogo é realmente aproveitável porque está sendo inserido a partir da escola envolvendo os estudantes no momento em que eles estão preparados para o inicio do processo da formação de opinião. “Nós não podemos afirmar que já existe convicção firmada dessa consciência, esse é um processo que precisa ser construído, mas a partir deste projeto tudo vai fluir, e a escola é o lugar perfeito para que isso ocorra”, avaliou ela.



A iniciativa da escola faz justiça no momento em que possibilita espaço para debater o tema da consciência negra, esse é o ponto de vista dos alunos compartilhado por Josué Matos, 19, estudante do segundo ano, e um dos palestrantes do seminário. “Esse discurso pode conscientizar os adolescentes e os adultos na história recente da luta pelos direitos civis, e vemos que na escola predomina os negros, que, todavia não tem noção de seus direitos e por isso sofrem preconceitos”, considerou ele. 

Pelo segundo ano consecutivo a escola executa o Projeto da Consciência Negra, e para Josélia Reis a participação dos estudantes garantiu o brilho do evento, e para a próxima edição espera receber apoio mais efetivo do governo do estado. “Nós já estamos preparando um projeto detalhado, mostrando a importância do evento, junto com um projeto de orçamento que será enviado ao governo do estado solicitando investimento na festa”, contou Josélia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário