quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

# ENCONTRO DO PT EM MARABÁ #

Lideranças petistas do Pará fazem encontro regional 

O evento marca a retomada dos 
movimentos sociais, novas regras 
para eleição interna e preparativos 
para eleição em 2014 

WALQUER CARNEIRO 

No sábado, dia 16, um grupo composto por membros do Diretório do Partido dos Trabalhadores em Dom Eliseu foi à Marabá em uma reunião de trabalho do PT que reuniu petistas de 20 municípios da região sul e sudeste do Pará. 

O Encontro Regional do Partido dos Trabalhadores, como foi denominado o evento, realizou-se no Auditório do Universidade Federal do Pará e contou com a presença de mais de 150 pessoas, membros do PT no estado e nos municípios, bem como vereadores, prefeitos e deputados. 

O destaque no Encontro Regional do Partido dos Trabalhadores em Marabá ficou por conta da presença do Presidente de honra do PT Estadual e constituinte Paulo Rocha, deputado federal Zé Geraldo, deputado federal Beto Faro e o ex-deputado federal e constituinte, membro da executiva nacional do PT e, atualmente empresário no ramo de assessoria em gestão empresarial Virgílio Guimarães, além da deputada estadual Bernadete Tem Caten e seu esposo Luiz Pies, vice-prefeito de Marabá. 

No encontro foram discutidas as estratégias para as eleições 2014 e a apresentação das novas regras do estatuto do PED - Processo de Eleições Diretas – que escolhe dirigentes petistas em todo Brasil.

Ao alto a mesa formada por lideranças petistas, acima a esquerda o plenário, e a direita os vereadores Daniel Andrade e Pedro Mesquita ao lado de Gaston


No grupo de representantes do PT de Dom Eliseu foi registrada a presença de Gaston Seviero, presidente do Instituto Gaston; Eduardo da Luz, presidente o Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores ; Genivar Rodrigues, secretário do PT; Pedro Mesquita, vereador e coordenador do Sintepp; Daniel Andrade, vereador e o Professor Mário Sales, coordenador do Sintepp em Dom Eliseu. 

Para Gaston o encontro foi muito produtivo, pois mostrou o que se passa nos municípios da região em relação a atuação do Partido dos Trabalhadores. “Neste encontro eu percebi a grandiosidade do partido, a força e o empenho de dirigentes, parlamentares e gestores eleitos. Me mostrou que eu não estou sozinho nesta luta”, considerou. 

Na ocasião os convidados para compor a mesa fizeram avaliações da conjuntura política nacional, estadual e municipal. Nas considerações todos estimaram que nos últimos 10 anos foi criada uma condição favorável no Brasil, fruto do equilíbrio na condução administrativa de governo PT que leva em conta o mundo do trabalho beneficiando a nação de forma igualitária com políticas públicas sociais, obras de grande porte, incentivo à produção e um redirecionamento na condução da economia garantindo poder de compra à população mais pobre e estabilidade da inflação. 

Um dos ponto acertado no encontro foi a definição de ações regionais para articular a militância petista nos movimentos sociais, e para Luiz Bresan, coordenador regional do PT para a região sul e sudeste, a bandeira de luta do partido tem que se ajustar aos anseios da população da região como a retomada do movimento para a criação do estado de Carajás, criação de novos municípios, revisão do código de lei mineraria, a implantação da hidrovia Araguaia/Tocantins para a viabilização da Alpa, além de buscar soluções para melhorar as ações do INCRA em toda região sul e sudeste. “Esses debates que envolvem a questão econômica e organizativa da região, e o PT tem que dar respostas para isso além de ampliar o debate em torno das eleições em 2014”, falou Bresan. 

Todavia a preocupação dos organizadores do encontro foi em detalhar informações sobre as novas regras para o Processo de Eleições Diretas (PED) para os diretórios e executivas municipais, estaduais e nacional do PT que vai acontecer esse ano em todo Brasil. 

O Partido dos Trabalhadores é a única agremiação partidária da América Latina que define seus dirigentes por meio de eleições direitas onde os filiados têm direito de concorrerem aos cargos de diretórios e executivas. Esses são escolhidos pelo voto dos filiados. 

O Partido conta, hoje, com 1.500 milhão de filiados legais em todo Brasil, e estima-se que 50% destes irão votar nas próximas eleições internas do PT. No Pará são 77 mil filiados legais e espera-se que 30 mil participem do processo. No Pará o Partido dos Trabalhadores é o única legenda partidária que tem diretórios instituídos em todos os 144 municípios. 

O processo de eleições diretas do PT inicia-se em agosto e prossegue até setembro em todo território nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário