quarta-feira, 11 de julho de 2012

TUDO ACERTADO PARA A ELEIÇÃO

Apenas dois candidatos a prefeito na disputa em Dom Eliseu

112 candidatos a vereadores
de 17 partidos comporão as
coligações dos dois
candidatos a prefeito 

WALQUER CARNEIRO

A configuração do cenário político de Dom Eliseu já está completamente formatada e a grande novidade  para as eleições 2012 é a união dos dois principais grupos políticos locais, PSDB e PMDB, e que até bem pouco tempo eram adversários históricos na política local, e por isso a ação  pegou de surpresa o eleitorado municipal.

Até o mês de abril o  PSDB local, liderado pelo empresário Silon da Gama  vinha na tentativa de caçar o mandato do atual prefeito Joaquim Nogueira Neto (PMDB) por suposta compra de votos nas eleições de 2008, todavia Silon, que foi o segundo colocado na última eleição, não logrou êxito na empreitada.

A união do PSDB e PMDB se dá no  momento em que o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), o produtor agrícola  Gaston Seviero, se destaca no cenário político local, cuja inserção teve início em 2008 quando conseguiu 4.500 votos como candidato a prefeito.  

Diante do que está posto a eleições  2012 em Dom Eliseu acontecerão com apenas dois candidatos a prefeito com a chapa “Unidos por Dom Eliseu” formada por Joaquim Nogueira candidato a reeleição,  tendo Silon da Gama como vice, e a chapa “Tudo Novo com a Força do Povo”, formada por Gaston Seviero como candidato a prefeito e Pastor Elias Martins (PSC) como vice.

A aliança  do PT é composta por 9 partidos e dividida em duas coligações proporcional com total de 43 candidatos a vereadores. Já a aliança do PMDB é composta por 8 partidos e dividida em três coligações proporcionais com total de 69 candidatos a vereadores.

O movimento de aliança de Silon com Joaquim foi tido como inusitado porque    até o último momento esperava-se que ele viesse candidato a prefeito, ou em último caso compusesse uma chapa com o candidato do PT contra o atual prefeito, e para o comerciante José Mauro Adenir agora  o cenário ficou um pouco confuso. “O eleitor, agora, antes de tomar uma decisão vai ter que pensar bastante, pois essa união é o que menos se esperava”, avaliou.

Já para Joaquim Nogueira e Silon da Gama  a união vai por fim a disputa que há anos vinha atrapalhando o crescimento do município, todavia na outra ponta a cúpula do PT avalia que foi criada a condição propícia para uma possível vitória da democracia da  força progressista local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário