terça-feira, 12 de julho de 2011

TRANSPORTES COM NOVO COMANDO

Paulo Sérgio Passos é o novo ministro dos Transportes

A presidente bateu o martelo
e decidiu, um servidor
de carreira é o novo
ministro dos transportes

FONTE: PORTAL VERMELHO
O Palácio do Planalto divulgou, na noite desta segunda-feira (11), nota confirmando a indicação do ministro interino dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, para a pasta. "O ministro interino dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, foi convidado nesta segunda-feira pela presidenta Dilma Rousseff a assumir a titularidade da pasta. O convite foi aceito", diz a nota da Presidência da República.

Paulo Sérgio de Oliveira Passos assume o comando do Ministério dos Transportes pela terceira vez. Nas eleições de 2006 e 2010, Passos ocupou o cargo quando o ex-ministro Alfredo Nascimento concorreu ao Senado e ao governo do Amazonas. Atualmente, era secretário executivo da pasta.

Baiano de Muriti, formado em economia pela Universidade Federal da Bahia, Passos é servidor público desde 1973, quando iniciou carreira no Ministério dos Transportes. Também passou pelo extinto Ministério do Bem-Estar Social e pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Durante o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) foi secretário adjunto da Secretaria de Orçamento Federal por seis anos. Ele é casado com a cantora e compositora Rosa Passos e tem três filhos.

NOMEAÇÃO CONTRARIA LÍDER DO PR

Depois de concluir que a legenda não tem nomes alternativos ao do senador Blairo Maggi (MT), a cúpula partidária comunicou oficialmente à presidente Dilma Rousseff, na segunda-feira (11), que não aceita a vaga por impedimentos éticos e legais. Dois dos sete senadores e 14 dos 40 deputados do PR têm problemas com a Justiça.
O líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), já admitia no domingo (10) a perda dos Transportes. "Se a presidente entregar o ministério para outro partido, é ela quem decide. O PR vai respeitar." O partido diz que desiste da vaga, mas não aceita a efetivação do ministro interino, Paulo Sérgio Passos — que era o número dois do ex-ministro Alfredo Nascimento. 

Um comentário:

  1. A ministra Dilma mostrou atitude forte, tal qual é esperado de uma estadista, mesmo que motivada pelas denúncias na imprensa. Parabéns a ela que conseguiu tirar de letra essa situação.

    ResponderExcluir