sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

MPB


Eu quero é botar meu bloco na rua

Num tempo que era
proibido contestar
Sérgio Sampaio ousou fazer sucesso
com uma musica libertaria

Hoje a Música Popular Brasileira  está cada dia mais vulgar.  A depravação toma conta das idéias que acompanham as canções que entopem nosso cérebro com o que há de mais vil em relação aos pensamentos massificados por cantores que se vendem aos caprichos das TVs, rádios e gravadoras.  

Um dos artistas mais sinceros e honestos da MPB moderna é Sérgio Sampaio, que entre 1973 a 1982 marcou território com sua mensagem direta a inteligente. Sérgio Sampaio, além de ser um ótimo canto, r é também um criador com inspiração fora do comum.

Desde o inicio de sua carreira como cantor Sérgio foi enquadrado no grupo dos artistas malditos pelo fato de peitar os executivos das gravadoras e ter uma posição anti convencional, conseguiu se impor   paticipando de todos os principais festivais de musica brasileira entre o fim da década de 60 até o meio da década de 70, até que em 1971 ele conseguiu emplacar o seu primeiro grande sucesso, “Eu quero é botar o meu bloco na rua”, no IV Festival Internacional da Canção” e em 1972 lançar seu primeiro disco produzido por Raul Seixas.

Desde 1994 Sérgio Sampaio não existe mais, e para que você possa conhecer, ou matar a saudade se já conhece clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário