quinta-feira, 19 de junho de 2014

# O COMUM LIBERTA E O EXCLUSIVO OPRIME #

A libertação dos povos na posse em comum

Essa é a proposta da teologia da 
libertação dos povos. Por defender esses conceitos 
Marx foi metaforicamente crucificado, 
bem como o Frei Leonardo Boff.


WALQUER CARNEIRO


Não é possível acreditar que possa existir dignidade coletiva real numa sociedade aonde prevalece o critério de que alguns indivíduos são detentores de direitos exclusivos. Uma sociedade nesses moldes é promotora de uma massa de excluídos que sustentam os que se acham exclusivos.

O imperialismo capitalista é esse modelo que, para a manutenção das benesses de poucos, promove o abandono da maioria.

O contrário de exclusivo é aquilo que é comum, esse termo que é a raiz do conceito de comunismo onde se pressupõe que não há exclusividade e todos podem ter acesso em igualdade de condições às necessidades para um viver em dignidade.

Esse é um dos eixos fundamentais da mensagem de Jesus aos terrenos. Essa mensagem que foi passada num momento em que o povo Hebreu passava por terríveis provações sofrendo sob o jugo da aristocracia judaica, totalmente teocrática e concentradora de riqueza, e sob a sola da sandália do império romano, usurpador de territórios alheios.

Naquele momento Jesus propôs que se demolisse todo o velho conceito religioso, que como corrente mantinha o povo em submissão. Jesus não propôs uma revolução com armas materiais, a arma que Jesus aconselhou a usar foi a palavra, essa que nasce dentro da consciência.

A palavra, o conhecimento, a prática espiritual, os bens e valores, os mecanismos de justiça não podem estar na posse exclusiva de uma pequena porção de seres humanos, tudo tem que ser dividido em comum, em igualdade de condições para que possa haver paz e harmonia. Por esses pensamentos morreu Jesus sob os aplausos do povo Judeu e a complacência das autoridades romanas.

Carl Marx, 1840 depois de Jesus, decodificou política, economicamente e sociologicamente toda proposta de Jesus que é centrada na visão metafísica. A essa teoria, que se contrapões aos conceitos imperialistas e capitalistas Marx denominou de comunismo. Marx era um economista, com uma mente técnica e um judeu metafisicamente formado, e foi justamente por isso que ele conseguiu compreender perfeitamente a forma de opressão imperialista e o modo de anular as suas conseqüências.

 Por defender esses conceitos Marx foi metaforicamente crucificado, bem como o Frei Leonardo Boff.
Essa é a proposta da teologia da libertação dos povos. E crucificados serão todos aqueles que se porem contra o sistema capitalista excludente e estabelecido pelo rei da maldade desde as mais priscas eras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário