sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

# TRABALHADORA É CONSTRANGIDA PELA PREFEITURA #

Decisão intempestiva cria problemas

Sem regras e sem critérios para 
administrar o Shopping Popular a
prefeitura não respeita os
direitos de comerciante em dificuldade

WALQUER CARNEIRO





Um acontecimento nesta terça-feira, 16, mostrou a forma pouco convencional que a prefeitura de Dom Eliseu trata as pessoas. O fato diz respeito à tentativa de retirar uma senhora de um dos pontos de comércio no prédio do Shopping Popular, na praça do mercado municipal. 

O caso ocorrido envolveu a Senhora Marli, que a cerca de 7 meses recebeu da prefeitura um espaço para instalar a sua loja naquele local, mas devido e um problema de saúde de um familiar dela, além dos cuidados que ela tem que ter com os filhos, sendo ela separada do marido, dificultou a Marli condições financeiras para por para funcionar a sua loja, cujo local ficou fechado, com cadeado, durante esse tempo todo, sedo que no Shopping Popular existe mais nove pontos que estão fechados, sem serem utilizados para nada. 

Na sexta-feira (11) a Senhora Marli ficou sabendo que o administrador do Shopping Popular, o Senhor Zacarias, iria dar o ponto dela para uma outra pessoa, e então na, manhã de terça-feira, (16) ela resolveu levar mercadorias para o local e iniciar as atividade comerciais, mas para a sua surpresa havia um outro cadeado impedindo que Marli abrisse a porta. 

Sentindo-se ultrajada em seu direito a Senhora resolveu procurar a orientação do Advogado Adriano Magalhães para saber o que ela deveria fazer no caso em questão. Marli contou a sua situação para o Advogado que disse a ela que poderia quebrar o cadeado e ocupar o espaço que é seu por direito. E assim ela fez. 

Marli então contratou um serralheiro que foi ao local e cortou o cadeado, porém nesse momento Zacarias chegou ao local e começou uma discussão com Marli dizendo que ele não devia ter quebrado o cadeado e que era para ela se retirar, momento em que Marli afirmou que não arredava o pé do local. Foi então que Zacarias resolveu chamar a polícia, que em poucos minutos chegou ao local, e o comandante da guarnição tomou pé de situação constatando que Zacarias estava agindo de forma equivocada, dizendo que a situação tinha que ser resolvida pela justiça e orientou a ambos a registrar um boletim de ocorrência referente ao acontecido e acionar a justiça. 

O mais preocupante é que, de acordo com informações, no Shopping Popular há alguns box que as pessoas responsáveis venderam para terceiros, todavia os espaços não podem ser vendidos e que, por obrigação a prefeitura tem que retomar a posse, pois é um patrimônio publico municipal, mas no entanto a prefeitura preferiu tomar o ponto de uma pessoa que, por não estar em uma situação financeira agradável, ainda não havia podido abrir o seu comércio no Shopping Popular. Pois no caso da Marli, ela tinha planos para instalar a sua loja naquele local. 

De acordo com as informações a prefeitura pretende fazer um remanejamento de pessoas no Shopping Popular tendo como alvo as pessoas que ganharam um box mas não estão utilizando, todavia a direção começou a desenvolver o processo de forma aleatória, e a suspeita, em relação a Marli, de que a prefeitura está levando em consideração a posição política partidária, pois na eleição para prefeito ela votou em Gaston Seviero candidato adversário do prefeito Joaquim Nogueira. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário