segunda-feira, 6 de agosto de 2012

LEONARDO BOFF CRISTÃO REVOLUCIONÁRIO

Pensando o Brasil e causando controvérsias 

Leonardo Boff é um homem em desacordo 
com o seu tempo porque a sua visão de 
mundo vai muito além do que está estabelecido, 
Ele olha para onde Cristo indicou.

WALQUER CARNEIRO

                                                            
De acordo com a enciclopédia virtual Leonardo Boff, é pseudônimo de Genézio Darci Boff (Concórdia, 14 de dezembro de1938), é um teólogo brasileiro, escritor e professor universitário, expoente da Teologia da Libertação no Brasil. Foi membro da Ordem dos Frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos. É respeitado pela sua história de defesa pelas causas sociais e atualmente debate também questões ambientais.

Seus questionamentos a respeito da hierarquia da Igreja, expressos no livro Igreja, Carisma e Poder, renderam-lhe um processo junto à Congregação para a Doutrina da Fé, então sob a direção de Joseph Ratzinger, hoje Papa Bento XVI. Em 1985, foi condenado a um ano de "silêncio obsequioso".

Sua reflexão teológica abrange os campos da Ética, Ecologia e da Espiritualidade, além de assessorar as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e movimentos sociais como o MST. Trabalha também no campo do ecumenismo. (Informações Wikkpedia)


A preocupação principal de Leonardo Boff como teólogo e filósofo é com a interatividade dos seres humanos com a terra sobre a influência metafisica que desde a eternidade afeta os indivíduos e o planeta. Seus pensamentos e reflexões são tão profundos que levam à dificuldade de entendimento pela maioria das pessoas que entram em contato com seus textos.


Vejam a baixo um pequeno exemplo do pensamento deste homem que sente e interage com o todo como nenhuma outra pessoa neste país.
"Hoje nos encontramos numa fase nova na humanidade. Todos estamos regressando à Casa Comum, à Terra: os povos, as sociedades, as culturas e as religiões. Todos trocamos experiências e valores. Todos nos enriquecemos e nos completamos mutuamente. (...)
(...) Vamos rir, chorar e aprender. Aprender especialmente como casar Céu e Terra, vale dizer, como combinar o cotidiano com o surpreendente, a imanência opaca dos dias com a transcendência radiosa do espírito, a vida na plena liberdade com a morte simbolizada como um unir-se com os ancestrais, a felicidade discreta nesse mundo com a grande promessa na eternidade. E, ao final, teremos descoberto mil razões para viver mais e melhor, todos juntos, como uma grande família, na mesma Aldeia Comum, generosa e bela, o planeta Terra."

Nenhum comentário:

Postar um comentário