sábado, 5 de maio de 2012

MICHELANGELO E O GRITO DE MUNCH

O artefato tem mais valor do que o seu criador

Não existe justificativa plausível
para que uma pintura seja
vendida por milhões de reias enquanto
milhões de pessoas vivem na miséria

WALQUER CARNEIRO


O que faz um quadro pintado com a tinta mais ordinária que existe e retratando um cenário lúgubre, ser vendido por milhões de reais? É o caso do quadro do artista plástico Norueguês, Edvard Munch, do século XIX, pintado a tinta pastel. O quadro intitulado “O Grito” foi vendido recentemente em um leilão em Londres, Inglaterra, por R$- 100 milhões. É mole!!?? 

O pior de tudo é que o quadro apresenta uma paisagem elaborada com traços primitivistas e quase infantis, e que se for analisado artisticamente, levando em conta as pinturas de Michelangelo “O Grito” não valeria nem um centavo, já que até mesmo uma pessoa sem nenhum conhecimento de desenho pode reproduzir o quadro do Norueguês, enquanto que uma obra de Michelangelo, por exemplo, é quase impossível a sua reprodução.


Esteticamente o quadro de Edvard Munch é feio e ainda passa uma mensagem pesada de tristeza e depressão, o que por si só, na minha opinião, é motivo de depreciação da obra, já que no meu entendimento a arte, em todas as suas formas de manifestações, tem que ter o papel de levar alegria a descontração em meio a um mundo que só apresenta tristeza e miséria.

Um comentário:

  1. O valor da obra não esta na dificuldade de reprodução. Tudo se reproduz. O valor esta na criacao. Artista e quem cria! Vc comparou estilos diferentes, dois gênios incomparáveis . No quadro que vc desdenha, eu escuto um grito na expressão da figura! Inspiração divina, só para gênios mesmo!

    ResponderExcluir