quarta-feira, 18 de abril de 2012

ESCOLAS ROMPENDO A BARREIRA DA ERA DIGITAL

Professores recebem cursos de informática e computação

Curso do governo federal qualifica
Professores, mas há barreiras
estruturais e técnicas a serem
quebradas nas escolas de Dom Eliseu

WALQUER CARNEIRO

Depois de mais de 10 anos de lançamento no Brasil o município de Dom Eliseu está finalmente recebendo cursos para a qualificação de educadores na área da tecnologia digital, pois de 9 a 13 de abril aconteceu a I Jornada de Capacitação de Educadores para a Inclusão Digital desenvolvida pelo Proinfo - Programa Nacional de Informática na Educação -, com o curso de introdução digital. 

Dois técnicos da pedagogia digital coordenaram o evento, Fabio Gualberto, gerente de Tecnologia da secretaria municipal de educação, junto com Áurea Albuquerque, formadora do Proinfo que produziram palestras e apresentações de vídeos para 39 educadores em cindo dias com 40 horas de atividades revelando os segredos do sistemas Linux e seus aplicativos , que é um software livre utilizado pelo governo federal para a inclusão digital nas escolas públicas, enquanto nos setores domésticos, empresarial e comercial o sistema mais popular é o Windows.


O curso é muito importante, pois ainda existe muito desconhecimento por parte dos professores em relação a utilização dos aplicativos da computação, tanto nas atividades técnicas quanto para pesquisas, tanto que Fábio Gualberto concorda que é necessário oportunizar conhecimento aos professores para instigando nos alunos o instinto de pesquisadores e formadores utilizando esse recurso muito importante para a educação municipal. “Os computadores que antes eram usados apenas para trabalhos burocráticos agora serão utilizados de forma mais pedagógica direcionado para o aluno e toda a comunidade escolar”, disse Fabio. 

Desde 2008 Dom Eliseu vem recebendo computadores para a montagem de laboratórios de informática nas escolas públicas do município que teriam a função de oferecer oportunidades de inclusão dos estudantes à tecnologia de informática para pesquisas escolares, e trabalhos técnicos, mas alguns obstáculos vinham impedindo a real efetivação desta importante ferramenta para a evolução educacional para a pedagogia domeliseuense. 

Os professores que concluíram o curso serão multiplicadores, levando o conhecimento a outros professores que repassarão aos alunos, e de acordo com Áurea Albuquerque o curso permitirá que os professores possa utilizar corretamente o sistema Linux, ela disse que os conhecimentos irão repercutir na instrução do aluno. “Cada escola que tiver um laboratório, os professores deverão utilizá-los com seus alunos para melhorar o processo de aprendizagem”, apontou Áurea.

DIFICULDADES PARA O PLENO FUNCIONAMENTO

As principais barreiras para a implantação dos laboratórios de informática são a rede de fornecimento de energia elétrica que em diversas escolas não suportam os aparelhos dos computadores e equipamentos de climatização de ambiente além da falta de formação dos educadores para orientar os estudantes para a correta utilização da tecnologia digital, e o professor Julio Cesar Alves Pereira, da Escola Presidente Médici, a primeira a receber um laboratório de informática, analisa que o conhecimento no mundo da informática entre a maioria dos professores ainda é limitado, por isso concorda que o curso é essencial, e os laboratórios de informática muitos importantes. “O sistema Linux é desconhecido para os professores e alunos, que no dia a dia usam o Windows. O Linux tem janelas e aplicativos diferentes, e por isso a necessidade de um professor capacitado para operar o sistema,” considerou o professo para quem há outros problemas a serem solucionados para o aproveitamento positivo dos laboratórios de informática como mobiliário inadequado e equipamentos com programas defasados.

Sem o equipamento adequado o sistema fica lento, os programas demoram para abrir, e a mobília deve ser ergometricamente adequada para determinadas faixas etárias de alunos. “Na minha escola nós ainda temos a dificuldade de cadeiras que não estão de acordo com a banqueta dos computadores, não temos uma central de ar com a capacidade adequada para o ambiente,” exemplificou o professor Julio para quem dessa forma não se pode colocar um laboratório de informática para funcionar, sendo necessário um projeto adequado para as necessidades da escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário