quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

DROGAS. COMBATER COM SABEDORIA

O combate às drogas tem que ter outro enfoque

Com a liberação, controle e taxação, 
estaria se criando receita 
para cuidar dos viciados, 
reduzindo-se a população carcerária

REDAÇÃO DO BLOG


Mais um colaborador para o Blog Porta Pro Futuro. Ted Bitencourt. Policial aposentado e estudante de direito. Ted escreveu um artigo sobre a hipocrisia em que a sociedade encara a questões das drogas. O texto tecido por Ted foi montado a partir de uma matéria do Jornal o Estadão On Line ( leia a matéria clicando AQUI ) que fala sobre as novas modalidades das penas para pequenos traficantes que poderão não mais ficar enclausurado.

O texto de Ted Bitencourt é muito claro e realista, sem meias palavras e põe o dedo direto na ferida e aponta os benefícios para a sociedade se o combate as drogas fosse desenvolvido com outro foco. Leia a baixo


TED BITENCOURT

Na minha opinião as autoridades se perderam na batalha contra as drogas e caminham para a liberação total, o que talvez ainda as impeça são os tratados internacionais e o medo da reação da sociedade.

Em 2011, vários ex-presidentes de diversos países, entre eles FHC (Brasil) e Bil Clinton(EUA), estiveram reunidos e admitiram ter perdido a luta contra as drogas, e aconselharam uma mudança de estratégia nessa guerra.

Eu como Policial Militar aposentado, conhecedor desse contexto acredito que quase todos estão perdendo esta batalha: Perde a sociedade que finge não ver, até descobrir um viciado dentro da família. Perde o viciado que vende tudo que tem, perde o emprego, rouba ou compra fiado e no final paga com a vida. Na verdade só quem lucra com o tráfico é o grande traficante e algumas centenas de advogados, autoridades e seus agentes corruptos.

O grande traficante, denominado na estrutura do tráfico de "O Homem" ou "Magnata", age como um investidor, não mantém contato com os pequenos traficantes ou viciados e está sempre acima de qualquer suspeita, pois mantém negócios de fachada para lavagem do lucro e muitas vezes nem conhece o produto, recebe apenas os lucros. Resumindo; Hoje só não usa drogas proibidas quem não quer, pois em todas as cidades do país, nos bairros e ruas tem um pequeno traficante que todos os viciados conhecem.

O governo deveria liberar e controlar a venda de drogas nas farmácias e cobrar imposto alto a fim de tratar os doentes que perambulam por ai. Massificar uma campanha de divulgação e conscientização dos males das drogas, assim como fez com o cigarro comum, pois hoje poucas pessoas fumam.

Com a liberação, controle e taxação, estaria-se criando receita para cuidar dos viciados, reduziria-se a população carcerária que hoje deve ser de uns 50% por envolvimento com drogas, diminuindo a corrupção, os crimes e mortes correlacionadas ao tráfico. Por fim criava-se leis severas para aquelas que fossem flagrados sonegando o referido imposto e para quem facilitasse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário