sábado, 12 de novembro de 2011

EM DOM ELISEU VEREADORES VOTAM

Vitória dos comerciários tem que ser avalizada por assinatura do prefeito

Os vereadores, depois de um
impasse, votaram e aprovaram
projeto que garante mais liberdade
para os trabalhadores no comércio

WALQUER CARNEIRO

Os vereadores de Dom Eliseu discutiram e votaram e aprovaram   em duas sessões de reunião o Projeto de Lei 009/2011, da Câmara dos Vereadores de Dom Eliseu, elaborado pelo vereador Antonio Silva, que prevê a regulamentação da jornada de trabalho para os trabalhadores dos estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços no município  de Dom Eliseu.

A primeira sessão, ordinária, aconteceu na terça-feira (8) e a segunda sessão, extra ordinária,  ocorreu na quinta-feira (10). Em ambas, surpreendentemente, foi observada a presença de uma quantidade considerável (cerca de 100) de trabalhadores (comerciários) dos comércios de Dom Eliseu. 
Depois de tramitar por quase 30 dias na casa de leis o Projeto 009 foi posto em pauta no dia 8 para ser discutido e votado, pois essa era a expectativa da categoria que há muito tempo vê seus direitos serem negados, e por isso o sindicato dos trabalhadores no comércio resolveu solicitar a ajuda do vereador Antonio Silva. Essa atitude foi necessária porque os patrões não estavam respeitando a lei federal (CLT), e a regulamentação da lei teve o propósito de mobilizar a categoria e alertar os patrões.

Os trabalhadores foram à câmara no dia 8 certos de que a lei seria aprovada naquela ocasião, porém eles não esperavam  que o vereador Zé Pedro pudesse adiar aquele momento, pois no instante  em que o presidente da câmara, Jefferson Deprá, pôs o projeto em discussão Zé Pedro levantou-se e pediu vistas do projeto com a justificativa de incluir no mesmo as  categorias comerciais de posto de combustível e Chopim  Center, porém os trabalhadores não gostaram da iniciativa do vereador por entender que seria uma manobra para desmotivar a categoria numa tentativa de não aprovar o projeto.
Diante da solicitação de Zé Pedro o presidente da câmara decidiu retirar o projeto da pauta naquele dia e  propôs que fosse feita uma emenda para ser   adicionada ao projeto que seria votado na próxima sessão. Descontentes os  trabalhadores se retiraram do plenário da câmara e se reuniram em frente ao parlamento e começaram a protestar contra os vereadores, enquanto lá dentro o vereador Daniel Andrade discursava na tribuna falando que o projeto seria votado.  

Neste meio tempo os trabalhadores foram convencidos a retornarem ao plenário da câmara para acompanhar o restante da sessão, e lá dentro foram informados de que o pedido de vistas feito pelo vereador Zé Pedro tinha que ser respeitado, e que seria feita uma emenda e adicionada ao projeto que seria votado na próxima sessão de reunião no dia 15, e mais uma vez os trabalhadores não gostara da ideia, pois dia 15 seria o feriado de proclamação de república.

Diante desse novo impasse o presidente da câmara propôs então que o projeto fosse votado no dia 10 (quinta-feira) em uma sessão extraordinária, o que foi feito, e assim projeto foi votado e aprovado  juntamente com a emenda incluindo os postos  de combustíveis e chopim Center.

Agora o projeto será enviado ao gabinete do prefeito para protocolo e em seguida o prefeito solicitará que o departamento jurídico faça uma avaliação do texto com o objetivo de observar sua redação e constitucionalidade, e só depois do aval do jurídico é que o prefeito irá fazer a confirmação do projeto com a sua assinatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário