sábado, 21 de maio de 2011

POESIA BLUES




NOTURNAMENTE BLUES
                                                         Walquer Carneiro/1995


Meus olhos vagueiam noturnamente
Por entre os vultos que passam
Na noite de verão.
Garotas vão passando
Dando bola aos boys
E os gays fazem seus trotoir,
E de dentro do meu carro
Eu observo as pessoas que vão.

Meus olhos vagueiam noturnamente
Vermelhos
As noites de neon,
Minha mente turbilha veloz
Em meio aos ruídos
Que estribilam latentes esvoaçando no ar
Da rua passarela que vai
Sem saída para lugar nenhum
Sob  efeito canabinol.

Meus olhos vagueiam noturnamente
Semblantes, maquiagens exóticas,
Cabelos e tatuagens,
Cruzam minha frente
Lentamente como sonho
Enquanto eu vou fitando  
De dentro do meu carro
Observando  as pessoas que vão.

De repente
Um grito na noite
Um pivete bateu
A carteira do otário
Enquanto eu paro
E  tomo uma cervejinha
No barzinho da esquina
Onde um  broto displicente
Passa rente
E esbarra em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário