segunda-feira, 22 de outubro de 2012

QUEREM TIRAR GASTON DO CENÁRIO

Ação judicial pede a inelegibilidade de Gaston por oito anos 

Não satisfeitos com a vitória pífia
a coligação do Quinze pretende
eliminar definitivamente o
13 da cena política municipal

WALQUER CARNEIRO



A performance de Gaston na eleição municipal de Dom Eliseu surpreendeu e amedrontou os adversários dele que esperavam triturar politicamente o PT os partidos aliados ao candidato a prefeito pela coligação Tudo Novo com a Força do Povo. Para impedir a eleição de Gaston foi preciso unir as duas tradicionais forças políticas de Dom Eliseu (Turma do Quinze mais a turma do Quarenta e Cinco) que há mais de vinte anos eram adversários figadais, ao ponto de não se suportarem um ao outro. 

Para a coligação do Joaquim/Silon a eleição seria um passeio em cima de Gaston. Eles pensavam que seria fácil vencer. Mas já no lançamento da campanha os adversários do Gaston ficaram alarmados com a quantidade de pessoas que compareceram na convenção do PT onde foi feito o lançamento da candidatura de Gaston e Pastor Elias, quando foi registrada a presença de mais de 500 pessoas. 

No decorrer da campanha eleitoral a turma do Quinze percebeu que não seria fácil derrotar Gaston e sua turma, pois a 20 dias da eleição as pesquisas apresentavam um empate técnico entre o Quinze e o 13. Foi então que eles resolveram apelar para a ignorância, aproveitaram uma filmagem que eles fizeram às escondidas, de uma reunião com o Pastor Elias, onde o Joaquim fazia uma proposta para o Pastor apoiá-lo na eleição, proposta essa que não foi aceita pelo Pastor, fato esse que o Joaquim já previa, tanto que ele filmou a reunião com uma câmera escondida justamente para utilizar em um momento de desespero. 

A turma do Quinze resolveu fazer uma montagem dando a parecer que era o Pastor que estava se vendendo e apresentaram a montagem no telão. Essa estratégia teve como alvo os 12% de indecisos que a pesquisa apontava na época, cerca de 3000 eleitores. Destes mais ou menos 500 ao verem a montagem resolveram optar pelo Quinze, e como essa quantidade de votos não seria suficiente para garantir a vitória do Quinze eles então partiram para estratégias mais obscuras, às quais falarei mais a frente. 

O fato é que apesar da união das duas grandes forças políticas contra o 13 a vitória do Quinze não foi convincente, tanto que já há evidencias de que está tramitando na justiça municipal uma ação solicitando a inelegibilidade do Gaston pelos próximos oito anos. 

De acordo com informações do departamento jurídico da coligação Tudo Novo com a Força do Povo a ação foi protocolada na justiça eleitoral de Dom Eliseu pelo ministério público em conjunto com o jurídico da coligação Unidos Por Dom Eliseu. 

A ação arrola, além do Gaston, mais quatro pessoas, e a justificativa é a realização da última carreata do 13, três dias antes da eleição. Vale lembrar que a coligação Tudo Novo com a Força do Povo tinha o direito constitucional de realizar a carreata. 

Essa atitude demonstra o real caráter dos adversários de Gaston e seus aliados, que não contente com a vitória sobre ele têm o desejo de eliminá-lo definitivamente do cenário político municipal, pois diante do que foi mostrado Gaston, de forma decisiva, se elevou à categoria de grande líder popular do povo de Dom Eliseu com os seus 9.829 votos conseguidos graças ao esforço das pessoas que, em sua maioria, de forma voluntária foram às ruas conclamar o povo a votar em Gaston e no 13. 

Essa ação com o objetivo de tirar Gaston do cenário político municipal mostra que ele tem reais chances de vencer as eleições em 2016. Pois como diz o ditado: Não se espanca um cachorro morto. 

SUSPEITAS DE AÇÕES ABSCURAS DO QUINZE 

Mesmo com a artimanha do vídeo montado que forjou uma situação que pôs dúvidas no eleitor mais desinformado e conservador a coligação do Quinze constatou que a eleição não estava garantida, assim eles partiram para ações mais obscuras como a intimidação de eleitores mais humildes que devido a sua condição social recebiam apoio do poder público municipal. Além disso há suspeitas de compra, literal, de votos e a utilização de títulos eleitorais clonados. Essas irregularidades, supostamente cometidas pela coligação do Quinze, está sendo investigada em cima de indícios de procedimentos duvidosos nos dias que antecederam ao pleito. Pois há relatos de flagrantes materiais e registro em vídeo.

3 comentários:

  1. Será terrível ter que ver esses vigaristas por mais 4 anos no poder municipal. Ele que deveria ser cassado e torna-se inelegível, pois eles não tem a menor condição de continuar governando.

    ResponderExcluir
  2. Realmente sera horrível mesmo vendo esse povo que só trás beneficio pra eles mesmo como o Célio, quem era Célio da casa lotérica em Dom Eliseu hoje ele e seu Célio dono de belo patrimônio... com o nosso dinheiro...

    ResponderExcluir
  3. Walquer concordo com o comentário feito acima sobre o Sr Célio que antes de entrar na Prefeitura tinha um golzinho modelo bolinha humilde que só. Hoje o cara ta bancando uma de barão comprando tudo que esta a venda na cidade por ultimo o vilão e ladrão do dinheiro publico comprou foi o sítio do povo do pão da terra.
    É por isso que não sobra dinheiro pra pagar os fornecedores e as empresas que prestam serviços para a prefeitura só da ladrão naquela merda aonde esta o ministério publico que não vê essa roubalheira geral.

    ResponderExcluir