segunda-feira, 26 de março de 2012

VOCÊ JÁ VIU BOI VOAR ?


Em Dom Eliseu pode ser que boi crie asas
Não está descartada alianças
impensáveis até bem pouco tempo,
e na busca pela tomada e manutenção
do poder tudo pode acontecer

 WALQUER CARNEIRO


Ao ler uma matéria na Folha de São Paulo sobre as articulações para a eleição municipal em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais me veio a memória um ditado interessante que escutei muitas vezes de um velho amigo e camarada comunista, Francisco Freire, macaco velho, sábio da política, militante socialista que muito contribuiu para que a mínima formação de  esquerda pudesse existir hoje em Dom Eliseu. Ele dizia, - “Em política eu ainda só não vi boi voar” -, referindo-se ao fato de que os interesses contido no jogo político superam toda e qualquer divergências. Pois para a composição da aliança em Belo Horizonte – CLIQUE AQUI PARA LER – já está certo a presença do PT e PSDB para garantir a reeleição do atual prefeito de Belo Horizonte que é do PSB, e além disso garantindo a vaga de vice para o PT.

Enquanto lia a matéria sobre a composição da aliança lá em Minas Gerais me pus a pensar sobre a situação da movimentação política para as eleições municipais em Dom Eliseu, já que no cenário político partidário a capital mineira tem uma considerável influência nos acordos de alianças fechados Brasil afora, mais até do que São Paulo.  

 EM DOM ELISEU A COISA TÁ MAIS OU MENOS ASSIM      

Em Dom Eliseu tanto o PT quanto o PSDB, com seus respectivos candidatos Gaston e Silon, vivem momentos da quase aflição frente a certeza da disputa eleitoral contra o PMDB, e o mesmo dilema está vivendo o PMDB, porque pela primeira vez na história política municipal existem três candidaturas com o mesmo potencial para concorrer as eleições de igual para igual com chances reais, a todos os três, de serem eleitos. 

Essa é a verdade, e essa certeza torna a eleição um mistério, se for levado em conta as intenções de voto que o eleitorado de Dom Eliseu manifesta.     

Os últimos cálculos mostram mínimas diferenças percentuais de um pré-candidato para outro, sendo que o prefeito Joaquim tem um pouco mais de rejeição, que é natural de quem exerce um mandato.  
A aflição do PT e do PSDB se dá porque o PMDB é quem detém a máquina pública, e consequentemente tem mais possibilidade de se sair bem no pleito, e de acordo com informações não oficiais o PMDB pode chamar para a aliança um dos dois adversários, não importa qual, pois para o PMDB o importante é vencer a eleição e passar a régua.    

Por outro lado o PT há tempos vem cortejando o PSDB para uma aliança, também para garantir a eleição em cima do PMDB, mas o que emperra a concretização do intento é que não há consenso entre os pré-candidatos do PT e do PSDB sobre quem seria o candidato a prefeito e quem seria o vice.    

Agora o grande coringa do baralho eleitoral é o vereador Jefferson Deprá, que é do PMDB, mas por incrível que possa parecer anda um pouco distante do seu grupo, tanto que pouco de vê o vereador em eventos públicos com o prefeito Joaquim. Por causa disso o vereador está sendo assediado tanto pelo PSDB quanto pelo PT.

As articulações políticas estão em pleno vapor e até o mês de junho tudo pode acontecer, até mesmo boi voar, pois jogo  o político em Dom Eliseu já saiu do amadorismo para o profissionalismo, e ninguém está aí para brincadeira.      

O espaço para comentar  está logo aí abaixo, clique em comentários.

4 comentários:

  1. Sei bão mas esse papo do walker tá meio assim sem muito sentido

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente a politica tem e usa a sua própria ética, e os conchaves e articulações são muito comuns, não acho que pensar na politica atual/futura de Dom Eliseu seja sem sentido (como diz por aí o senso comum), os grandes teóricos iluministas e democráticos e políticos já alertavam que na politica "o fim justifica os meios" e que "ela é a arte do possível", se hoje não existe ainda algo definido é por que tem alguém mais interessado em manter uma coesão politica em nosso município, pois nela os grupos ultrapassam os limites de um município e chegam até o executivo estadual, assim sendo Simão Jatene, como lider estadual sabe que a politica futura depende muito do presente e que uma aliança entre o PSDB E PMDB é o essencial para "ele".Observar o andamento político é mais que um direito e um gesto de cidadania, pois mostra que estamos visando futuras melhorias, partindo de um grupo ou não, pois eles não podem esquecer que quem decide no final das contas somos nós.

    ResponderExcluir
  3. walquer tem um cidadao em dom eliseu que e cheio de projetos todo dia liga pra radio falando dos seus projetos entao porque ele nao cria um projeto para sumir com a agua do seu lavador e nao pegar uma mangueira e jogar agua toda na rua criando um lago emfrente a um passagem de duas escolas importantes jonatas e maria de nazare e depois liga para radio falando mau da administraçao se ele nao se concientiza que ele e cidade obrigada walquer parabens pelo blog

    ResponderExcluir
  4. Pois é, o texto do artigo em questão foi montado com base em conversas com os próprios pré-candidatos e lideranças, todavia não reflete a real intenção de cada grupo político, pois nestes momentos que antecedem as eleições são fechados os ditos "acordos", cujas intenções só ficaremos sabendo algum tempo após as eleições, mas uma coisa eu posso afirmar: os acordos nunca levarão em conta todos os setores da sociedade, e também tem aquela velha história da luta de classes... Quando os interesses do grupo político de direita (hoje em Dom Eliseu existem dois)são colocado em risco por uma força política de esquerda, essas duas forças de direita tendem a se juntar para assim evitar que um goverso popular, socialista e democrático assuma o poder, mesmo que seja esse que está sendo posto pelo PT em Dom Eliseu que tem mais perfil de social democrácia do que socialismo democrático.

    ResponderExcluir