domingo, 22 de outubro de 2017

FARINHA DO MESMO SACO

A Classe média gritou contra a corrupção votando no Aécio

Uma elite desumanizada, uma
classe média sem memória histórica
e ávida, um povo sem educação
e baixo senso cognitivo


WALQUER CARNEIRO 


Em todas as democracias do mundo a politica e eleições são bancadas com dinheiro de propina, de desvio de recursos públicos e financiamento de empresários e do crime organizado, mas no Brasil a classe média não sabe disso,  e vendo que não há provas contra Lula o coxinha grita alucinado: “É tudo farinha do mesmo saco..!!!”, furioso  por que quanto mais procuram crimes de Lula mais encontram crimes do PSDB e seus Tucanos amestrados.

“Então só restam  os militares, um aio para a nação, é isso?”,  pergunto eu ao coxinha.

Quando você  grita farinha do mesmo saco você  está numa manobra de tirar seu corpo fora das responsabilidades pela situação criada por você quando gritou fora Dilma e Luladrão e por isso votou no Aécio, esse mesmo que foi flagrado  na prática da corrupção de todas as formas (até mesmo cogitou matar o primo, lembra?)
Não diga farinha do mesmo saco e assuma a sua responsabilidade de colaborar para a reconstrução da nação com ideias propositivas com sempre fez o PT.

Não é tudo farinha do mesmo saco não..!!! Aécio é farinha do saco de coca, e Lula é farinha do saco de macaxeira.

E o pior é que agora estão aparecendo os furos no “imposto de renda” do Bolsonaro; enquanto o MBL grita seu falso moralismo apontando seu dedo lambuzado de merda para um museu do homem pelado para desviar o foco do fato de Temer, junto com o PSDB e DEM,   estar, destruindo direitos históricos dos trabalhadores e vendendo a nação feito um mascate de quinta categoria. Tudo isso por você, coxinha sem noção, gritou fora Dilma e Lula ladrão...!

Mas só no Brasil é que um bando de falsos moralistas donos da mídia e ocupantes do poder judiciário membros da alta elite brasileira usam seu poder, na figura de um oportunista como Bolsonaro, para tentar inculcar na população que apenas um partido é responsável pela corrupção, e que essa está restrita ao meio politico, enquanto na verdade é a alta elite econômica  nacional que organiza e comanda todo o aparato da rede de corrupção. A corrupção tem que ser combatida certamente, mas não à custa da destruição de uma nação, de uma ideologia e de um partido. O falso moralismo é alimento para florescer o fascismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário